O Golpe Militar de 1964 será tema de debate de mais uma edição do projeto ‘Diálogos’, promovido mensalmente pela Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Pela primeira vez, o evento será na Academia Amazonense de Letras (AAL), localizada na rua Ramos Ferreira, Centro, a partir das 19h. O debate será aberto ao público.

O tema foi escolhido em virtude de exatamente nesta segunda-feira, 31, o Brasil completar 50 anos do Golpe Militar, que depôs o presidente João Goulart. A ocasião, as dificuldades enfrentadas pela população brasileira durante o período, além das influências nos dias de hoje estarão em pauta no encontro.

Desta vez, o projeto ‘Diálogos’ será realizado em formato de painel, com uma mesa-redonda da qual participarão alguns dos principais intelectuais e membros da Academia Amazonense de Letras (AAL), que viveram o período da Ditadura Militar de forma ativa. Cada um dará seu depoimento, contando as experiências na época e reflexões sobre tais episódios.

Entre os convidados, estarão personalidades como Bernardo Cabral e Arlindo Porto, à época, deputados federal e estadual, respectivamente, e cassados durante a Ditadura Militar. O jornalista, poeta e escritor Aldísio Filgueiras, que foi censurado durante o regime, e Elson Farias, à época servidor público que testemunhou diversos acontecimentos, também participarão do painel, que será coordenado pela professora universitária e ex-reitora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Marilene Corrêa.

A abertura do evento será comandada pelo atual presidente da AAL, Armando Andrade de Menezes. O poeta e membro do Conselho Municipal de Turismo, Dori Carvalho também fará uma participação especial no evento.


Equipe Viva Manaus

Comentários