Chega ao fim nesta quarta-feira, 04, a exposição “Me Lixando”, em cartaz no Paço da Liberdade desde o dia 17 abril. A exposição é do artista plástico amazonense Paulo Olivença e atraiu 1.170 pessoas ao espaço. O trabalho mostrou um paralelo entre o lixo e seus impactos na natureza, através de esculturas feitas com ferro retratando os ribeiros amazônicos, suas tradições e sua relação com o regime dos rios.

Paulo Olivença explicou que a ideia foi trabalhar com “o absurdo”, conceito já tradicional em sua obra. “Essa exposição é mais uma atividade do Programa Municipal de Artes Visuais, projeto implementado pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). Com a quantidade de pessoas que visitaram a exposição, isso mostra que Manaus tem uma vocação para a produção e apreciação de obras em artes visuais. Atividades como essas servem para o fomento da cultura em nossa região”, disse o diretor do departamento de Políticas Culturais da Manauscult, Márcio Braz.

Apesar do fim desta exposição, o Paço da Liberdade ainda mantém aberta ao público as mostras da ‘Coleção Thiago de Mello’ e ‘Pedra Fundamental da Pinacoteca Municipal’. A coleção reúne 30 obras do acervo pessoal do poeta amazonense e é composta por peças de artistas latino-americanos e europeus, produzidas, principalmente, no período do regime militar. Entre as obras, há a de nomes como o chileno Roger Bru, o carioca Rubens Gershmam e o amazonense Manduka.

Já a ‘Pedra Fundamental da Pinacoteca Municipal’ traz obras de artistas amazonenses conhecidos, como Sérgio Cardoso, Jair Jackmont e Cristóvão Coutinho, e novos nomes como Sávio Stoco e Paulo Valente.

O Paço da Liberdade está aberto ao público, de terça a sexta-feira, das 9h às 16h30. O espaço está localizado na Travessa Gabriel Salgado, s/n°, Centro, em frente à Praça Dom Pedro II. Mais informações podem ser obtidas pelo número (92) 3215-3120.


Equipe Viva Manaus

Comentários