Alunos de ballet estreiam no palco do Les Artistes Café Teatro

Foto: David Batista/Manauscult Alunos de ballet no Les Artistes

A ExpoBag, exposição de ballet iniciada na última segunda-feira, 15, está oferecendo a alunos e admiradores da modalidade a oportunidade de pisarem pela primeira vez no palco de um teatro. A experiência faz parte do curso com “aulas públicas”, abertas a qualquer pessoa que goste de dança e que resultará em apresentações neste fim de semana. As atividade do ExpoBag seguem até sábado, 20, no Les Artistes Café Teatro (Av. Sete de Setembro, 377, Centro). O evento é uma realização da Escola de Ballet Álvaro Gonçalves, em parceria com a Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Além das aulas abertas ao público, que encerraram na última quarta-feira, e as apresentações que serão realizadas, a “ExpoBag” também conta com uma exposição de figurinos dos espetáculos do Ballet Álvaro Gonçalves. Todas as atividades são gratuitas, realizadas das 9h às 20h. “São eventos como este que despertam a curiosidade de adolescentes e jovens que se predispõem a fazer dança e, a partir daí, surgem talentos escondidos em Manaus”, disse o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula.

A semana contou com três turmas de ballet, com 20 alunos cada, em que foram treinados os movimentos básicos da dança, com a participação de bailarinos iniciantes e avançados. Para a jovem Sâmya Ataíde, a oportunidade de ensaiar em um palco de verdade, onde são realizadas performances importantes, é uma experiência inesquecível. “Quando a gente sai da academia para um lugar como este é mágico. A sensação, mesmo que ainda não seja para valer, é de que um ciclo se fecha, para dar início a uma nova fase na vida da gente que ama tanto o ballet”, completou Sâmya.

Michael Gonçalves faz apresentações de dança há três anos. Nos últimos seis meses passou a treinar ballet e não tem dúvida do que quer para o futuro: fazer parte de uma companhia local. “Foi muito enriquecedor para mim. E agora poder viver essa experiência dentro de um teatro me faz pensar mais na frente, na minha carreira”, disse o aluno.

Segundo o fundador da Escola, Álvaro Gonçalves, as atividades visam fomentar a cultura do ballet na cidade. “Queremos tornar o ballet clássico mais conhecido e admirado em Manaus e tirar esse tabu de que a dança é voltada apenas para alguns tipos de classes”, disse Álvaro.

Programação até sábado

A quinta, 18, sexta-feira, 19, e sábado, 20, serão dedicados a apresentações dos espetáculos de dança, com os alunos da própria escola e outros que participaram das aulas públicas. Na quinta e sexta-feira, o horário é às 19h. No sábado, a apresentação será às 18h. “Apresentaremos trechos de espetáculos variados montados pela escola. Será uma surpresa para o público”, disse Álvaro Gonçalves.

Além de assistir às apresentações, o visitante pode conhecer a exposição de figurinos, inspirados nos espetáculos mais marcantes da escola. As roupas foram criadas pelo próprio Álvaro Gonçalves e os desenhos enviados para uma equipe na Bahia. “Não há como desvincular as produções musicais dos figurinos. É preciso entender toda a evolução de cada um deles para que os espetáculos fiquem completos e ricos”, completou.

Carreira

O despertar pela dança, o baiano da capital, Álvaro Gonçalves, teve aos 12 anos de idade. Desde então não parou de frequentar aulas em Salvador até que veio morar em Manaus em 2005, quando fundou o Ballet Álvaro Gonçalves (BAG). Depois de 10 anos de fundação, o bailarino coleciona assinaturas em apresentações atuando e em coreografias. No portfólio, a Escola Ballet Álvaro Gonçalves conta com a participação em 25 mostras de dança, para mais de 15 mil espectadores. Ela é referência no Amazonas no ensino do método da Royal Academy of Dance, uma das instituições de ballet clássico mais importantes do mundo.

 

X