Ingrid Anne/Manauscult foto Ingrid Anne 30.12 (18) (1)

Povos e Comunidades Tradicionais de Terreiro de Matriz Africana terão um espaço exclusivo na praia da Ponta Negra, zona Oeste, para manifestações e celebrações culturais e religiosas, entre os dias 29 de dezembro e 1º de janeiro. O Festival Afro-Amazônico de Yemanjá 2015, organizado pela Articulação Amazônica dos Povos Tradicionais de Matriz Africana (Aratrama), é realizado pela Associação Cultural Toy Badé e tem o apoio da Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), em parceria com o Governo do Estado.

A área destinada ao Festival está localizada no fim da praia da Ponta Negra (limite com o Tropical Hotel) e terá palco, 20 tendas para terreiro, barracas de comidas tradicionais, estrutura para o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com o coordenador geral do Festival, Alberto Jorge Silva, mais de 20 mil pessoas são aguardadas apenas entre os dias 30 e 31, data em que a maioria dos frequentadores de terreiros comparece ao local para fazer suas celebrações.

A área estará aberta ao público a partir das 18h do dia 29, quando ocorrerá solenidade oficial para a abertura do Festival. O acesso é livre e gratuito. Cada terreiro se revezará em uma das 20 barracas montadas no local. Apenas as zonas Norte e Leste de Manaus possuem 400 terreiros. “Todos serão bem vindos, a única coisa que não é permitida é a intolerância religiosa. E cada terreiro ficará responsável pelo material levado”, comentou Alberto Jorge.

Alberto Jorge ressaltou que a estrutura é uma das maiores montadas para esse tipo de evento no País. “O que os povos e comunidades precisam saber é que hoje temos um espaço exclusivo, sem precisar que ninguém se arrisque ou aja como se estivesse na clandestinidade. É uma grande estrutura, tem até alojamento para os que quiserem dormir no local”.


Equipe Viva Manaus