Violinista assassinada inspira exposição fotográfica no Paço

Foto: Tácio Melo/Divulgação Exposição Ária Ramos marca os 101 anos da morte de Ária Ramos

Manaus, 17 de fevereiro de 1915. A jovem violinista Ária Ramos morria vítima de uma bala perdida durante um baile, em plena terça-feira gorda de Carnaval,no Ideal Clube, localizado, à época, na Avenida Eduardo Ribeiro, esquina com Henrique Martins, Centro. O crime que chocou a capital amazonense com seus quase 100 mil habitantes nunca foi elucidado e silenciou para sempre o violino da artista prodígio no auge dos seus 18 anos.

Mais de um século depois, o Museu Paço da Liberdade abre as portas para receber a exposição inspirada na vida e morte de Ária Ramos. Organizada por quatro fotógrafos, a exposição apresentará 24 imagens que trazem uma leitura contemporânea da mulher cuja morte ainda envolve grande mistério.

Aberta ao público a partir do dia 17 de fevereiro, a data escolhida não é uma simples coincidência: marca os 101 anos de morte de Ária. Tácio Melo, fotógrafo e um dos organizadores da exposição, conta que o interesse pela vida e morte da artista surgiu em 2011, quando, ao fotografar no Cemitério São João Batista, Zona Centro-Sul, se deparou com a sepultura de Ária feita em mármore, com a figura da jovem de corpo inteiro ostentando seu violino.

“Ao ver aquela imagem, logo pensei que aquela mulher teria uma relação muito forte com a arte e a música. Iniciei minhas pesquisas e descobri alguns blogs que falavam sobre Ária. Em 2015, busquei os familiares, que não estão mais vivos, com exceção de um sobrinho e uma sobrinha, que não moram em Manaus e que hoje têm 85 e 101 anos, respectivamente”, comentou.

Segundo Tácio, as fotografias que serão expostas não remetem a Manaus do século 19, e trazem a modelo Gabriela Nunes, na pele de Ária. “São momentos inspirados que remetem aos ensaios, cotidiano e a morte de Ária Ramos”, comentou. Compõem a exposição ainda fotografias de Rodrigo Tomzhinsky, Thaís Tabosa e Bárbara Umbra.

O Museu Paço da Liberdade, administrado pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), está localizado na Praça Dom Pedro II, S/N, e funciona de segunda a sexta, das 9h às 16h30 e aos sábados, das 9h às 16h. 

SERVIÇO

O QUÊ: Exposição Ária Ramos

QUANDO: a partir do dia 17 de fevereiro

ONDE: Museu Paço da Liberdade, Centro Histórico de Manaus

QUANTO: Gratuito

 

Texto: Mônica Figueiredo

Comentários

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões
X