Projeto ítalo-brasileiro apresenta o ‘Ritmo da Máscara’

Foto: Clarisse Lambert/Divulgação Ritmo da Máscara

De 16 (quarta-feira) a 23 (quarta-feira) de março, será executada, em Manaus, a segunda fase do projeto “Ritmo da Máscara”, que foi criado em 2015, pela Cia. de Intérpretes Independentes, dirigida pelo encenador coreográfico Ricardo Risuenho, do Brasil, com a colaboração da atriz e produtora Nyvea Karam, de Minas Gerais, e que realiza um intercâmbio artístico com o Teatro Laboratorio Isola di Confine, dirigida pelo ator e diretor Valerio Apice, da Itália.

O projeto foi contemplado com o Prêmio Manaus Conexões Culturais 2015, da Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). A primeira fase do projeto foi realizada no ano passado e consistiu na ida da Cia. de Intérpretes Independentes para a cidade de Marsciano, na região da Úmbria, na Itália, onde aconteceram oficinas, mesas-redondas e apresentações dos espetáculos “A Vida Começa pela Memória” e “Réquiem para Dois”, ambos concebidos por Ricardo Risuenho. Todas as atividades obtiveram grande sucesso de público e de crítica na Itália.

Ricardo Risuenho explica que “A Vida Começa pela Memória” (2013) é uma montagem de dança contemporânea que aborda a relação que o ser humano estabelece com a memória, utilizando a estética do fotógrafo tcheco Jan Saudek. O artista define “Réquiem para Dois” (2014) como um trabalho coreográfico contemporâneo que tem como tema central a morte. Ambos foram encenados pelos intérpretes Ricardo Risuenho e Anna Raphaella Costa, com cenários do artista plástico e cenógrafo amazonense Nelson Magli.

“A importância do projeto ‘Ritmo da Máscara – Intercâmbio com o Teatro Laboratorio Isola di Confine’ está no fato de que esse projeto possibilitará não somente responder aos anseios da Companhia de Intérpretes Independentes quanto à ampliação do nosso conhecimento artístico, mas permitirá que a classe artística da cidade de Manaus, assim como os estudantes de Teatro e Dança, estabeleçam novas relações e contatos com outro fazer artístico culturalmente diferente de nós. Isso só foi possível porque esse projeto foi contemplado com o Prêmio Manaus Conexões Culturais 2015, desenvolvido pela Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult)”, explica o diretor-artístico da Companhia Intérpretes Independentes, Ricardo Risuenho.

Atividades em Manaus – A segunda fase do projeto traz a Manaus o espetáculo “Don Giovanni in Soffitta”, o concerto-espetáculo “Ritmo da Máscara”, a aula-espetáculo “As Técnicas da Comunidade” e a oficina de teatro intitulada “Entre Don Giovanni e a Commedia Dell’Arte”. Todas as atividades são gratuitas.

“Don Giovanni in Soffitta” é um espetáculo que faz um resgate de Molière e Cesare Garboli, se preocupando em não utilizar os clichês habituais das montagens contemporâneas na abordagem da personagem Don Juan. O espetáculo é uma tentativa de resgate do texto de Molière, recompondo fragmentos dispersos sob os ‘escombros’ do teatro contemporâneo. E a escolha da direção foi de apresentar a máscara destruída de Don Giovanni de uma maneira cômica e trágica, sob a ótica de um servo: Sganarello.

“Em uma época em que o poder não consegue mais evitar a ditadura da máscara, o espetáculo abre janelas sobre a história do teatro, que busca uma vida no aqui e agora, na comunidade em que vivemos”, afirma Valerio Apice, que contracena com Marika Gatto e Davide Tassi. No espetáculo, também participam os músicos Gian Domenico Ceccarini (violão e baixo) e Francesco Brozzetti (bateria, percussão e sintetizador).

Já o concerto-espetáculo “Ritmo da Máscara” tem como protagonista o ritmo, que une e cria a relação de uma língua falada no lugar no qual vivemos e apresenta uma atmosfera musical que vai do blues às danças populares do sul da Itália, explorando improvisações entre o jazz e o teatro. No palco, estarão todos os integrantes da companhia italiana: Valerio Apice, Giullia Castellani, Davide Tassi, Marika Gatto, Gian Domenico Ceccarini e Francesco Brozzetti.

A aula-espetáculo é uma atividade didática voltada para a comunidade artística local, especificamente para os alunos dos cursos de Teatro e de Dança. Ela terá carga horária de 1 hora e 30 minutos e será ministrada pelo diretor-artístico da companhia italiana, Valerio Apice, juntamente com os atores e músicos do Teatro Laboratorio Isola di Confine.

Abertura e programação – No dia 16 (quarta-feira), a Cia. de Intérpretes Independentes apresentará uma exposição composta de fotografias e textos sobre a realização da primeira fase do projeto na noite de abertura, que será realizada a partir das 19h, no Espaço das Cias. (rua Dona Libânia, nº 300, Centro, zona sul), onde também serão encenados os espetáculos e onde serão realizados as oficinas e debates.

Em seguida, o diretor-artístico do Teatro Laboratorio Isola di Confine, Valerio Apice, apresentará uma intervenção de cerca de três minutos com o personagem Pulcinella. Após a solenidade de abertura do evento, será oferecido um coquetel para o público, convidados e jornalistas.

No dia 17 (quinta-feira), às 13h30, acontecerá a aula-espetáculo “As Técnicas da Comunidade”. Nos dias 18 (sexta-feira) e 19 (sábado), às 20h, será apresentado o espetáculo “Don Giovanni in Soffitta”. No dia 20 (domingo), às 19h, a companhia italiana apresentará o concerto-espetáculo “Ritmo da Máscara”.

Nos dias 21 (segunda-feira) e 22 (terça-feira), acontecerá a oficina “Entre Don Giovanni e a Commedia Dell’Arte”, que será ministrada pelo diretor-artístico do Teatro Laboratorio Isola di Confine, Valerio Apice.

Currículo resumido Companhia de Intérpretes Independentes – A Cia. de Intérpretes Independentes surgiu no ano de 2003 e em seus 12 de existência produziu 17 encenações coreográficas, as quais foram apresentadas em várias cidades do Brasil. Tendo sido contemplada em 8 edições com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna; 2 edições com o Prêmio de Apoio as Artes (Proarte), da Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas; 2 Prêmios Dança na Cidade e 1 Prêmio Valores da Terra, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

O diretor-artístico da companhia, Ricardo Risuenho, realiza, há dez anos, a pesquisa “Do movimento à Criação”, que tem como base a investigação das possibilidades da movimentação dos membros superiores, o que resultou na compreensão dos conceitos básicos de corpo, movimento e elementos cênicos adotados pela companhia, assim como no desenvolvimento de uma técnica específica para uma melhor execução dos movimentos dos membros superiores, a Técnica MMS. Sendo esta pesquisa, a produção e apresentação de encenações coreográficas e a socialização do conhecimento os pilares do trabalho da Companhia de Intérpretes Independentes.

Atualmente, a Companhia de Intérpretes Independentes possui o seu próprio teatro, o Espaço das Cias. (rua Dona Libânia, nº 300, Centro, zona sul), com capacidade para 50 lugares, inaugurado há dois anos, onde também são realizados os estudos que levam às produções dos espetáculos encenados pela companhia e também onde outros grupos artísticos se apresentam.

Currículo resumido Teatro Laboratório Isola di Confine – O Teatro Laboratorio Isola di Confine foi fundado por Valerio Apice e Giulia Castellani. Sua sede está localizada em Úmbria, na Itália, onde desenvolvem suas atividades no âmbito local e nacional. O grupo é formado por atores, músicos e estudiosos de teatro, especialistas no uso da máscara teatral e da técnica da improvisação, tendo como referência a Commedia dell’Arte.

A pesquisa do grupo concentra-se sobre o aprofundamento das técnicas do ator, sobre a poesia como escrita cênica, sobre a música e os cantos populares como uma linguagem teatral, sobre o teatro como um valor formativo e educativo. Na Itália, o grupo desenvolve projetos pedagógicos e artísticos, entre eles o “Il Teatro Va a Scuola” e o Finestre – Festival Internacional de Teatro. A companhia italiana também realiza diversos seminários, oficinas e espetáculos na Itália e em vários outros países europeus e na América do Sul.

Ficha técnica do projeto “Ritmo da Máscara – Intercâmbio com o Teatro Laboratório Isola di Confine”

Cia de Intérpretes Independentes – Manaus – Brasil

Ricardo Risuenho – Diretor e Intérprete

Anna Raphaella Costa – Intérprete

Jonatas Amaral – Intérprete

Nelson Magli – Operador de Luz

Iara Lane – Operador de Som

Teatro Laboratorio Isola de Confine – Umbria – Itália

Valerio Apice – Ator e Diretor

Giullia Castellani – Atriz, Educadora e Dramaturga

Davide Tassi – Ator e Cantor

Marika Gatto – Atriz e Dançarina

Gian Domenico Ceccarini – Músico

Francesco Brozzetti – Músico

Lanfranco di Mario – Técnico de som e luz

Simone Ricci – Jornalista

 

Assessoria de Comunicação no Brasil – Guilherme Gil

Designer gráfico – Guilherme Ferreira

Criação e organização do projeto no Brasil e Itália – Ricardo Risuenho e Nyvea Karam

Produção do projeto na Itália – Nyvea Karam

Produção do projeto no Brasil – Nyvea Karam e Ricardo Risuenho

Coordenação geral do evento – Ricardo Risuenho

Realização: Companhia de Intérpretes Independentes

Comentários

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões
X