O Rock in Rio escolheu Manaus para sediar um evento especial da marca, o Amazônia Live, projeto de caráter socioambiental e que pretende chamar a atenção do mundo para os impactos do aquecimento global. O anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira, 4, no Rio de Janeiro, pela diretoria do evento, ao lado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. O Amazônia Live acontecerá no final de agosto deste ano, marcará a contagem regressiva até o Rock in Rio 2017, e tem custos integrais da iniciativa privada.

Uma parceria entre o Rock in Rio, o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO) e o Instituto Socioambiental (ISA), visa contribuir para a restauração florestal. Ao longo dos próximos três anos, 1 milhão de árvores serão plantadas na Amazônia, colaborando para o reflorestamento de áreas mais críticas e para a arborização da capital do Amazonas, que este ano já lançou o projeto ‘Arboriza Manaus’.

Para o projeto, um palco flutuante será montado em pleno Rio Negro – nas proximidades do hotel de selva Jungle Palace -, onde um grande concerto dará início ao projeto socioambiental. O espetáculo contará com a presença da Orquestra Sinfônica Brasileira, acompanhada por um coro de 12 vozes e pelo tenor Saulo Laucas, artista cego e autista, exemplo de como a música pode transformar a vida das pessoas, e que interpretará a canção “Canto Della Terra” ao lado do tenor lírico Plácido Domingo.

Paralelo a isso, o Rock in Rio erguerá um palco na praia Ponta Negra, onde a artista brasileira Ivete Sangalo fará um show gratuito depois de abrir o evento no meio do Rio Negro. Toda a estrutura será custeada pela própria marca e não trará qualquer custo à Prefeitura de Manaus, que apenas cederá o espaço, considerado pela direção do evento um símbolo de beleza, por estar na Amazônia e às margens do rio.

“Queremos chamar a atenção para um problema mundial e que afeta o mundo todo, sem qualquer exagero. Este é o grande investimento de uma empresa privada, mesmo em um momento de crise, pensando em um retorno direto para o planeta, e não para uma causa própria. E o investimento não será apenas financeiro, mas também uma união de esforços, com o engajamento de famosos e anônimos em prol de uma causa social e ambiental”, detalha Roberto Medina, Presidente do Rock in Rio.

De acordo com o prefeito Arthur Virgílio, o fato do Rock in Rio escolher Manaus para receber o projeto mostra o quanto a cidade evoluiu nos últimos anos e vem chamando a atenção de todo o mundo. Depois da Copa do Mundo, em 2014, a capital do Amazonas também receberá este ano, além do Amazônia Live, as Olimpíadas.

“A marca do Rock in Rio aliada à nossa floresta engaja ainda mais jovens e adultos. Coincidentemente, já havíamos decidido que 2016 seria o ano mais verde desta gestão. Lançamos o projeto ‘Arboriza Manaus’ em março, com o objetivo de plantar dez mil mudas de plantas na cidade. A parceria do Rock in Rio nos ajuda neste sentido e vai ao encontro de um pensamento moderno em que a floresta é nosso bem mais precioso. Manaus exerce sua vocação de ser capital mundial. E o melhor, a custo zero para a Prefeitura de Manaus”, assinalou o prefeito.

O Rock in Rio também vai lançar uma campanha publicitária estrelada pelo ator Marcos Palmeira. A mensagem é um alerta para a importância do consumo consciente dos recursos naturais do planeta e uma convocatória para que cada pessoa seja agente ativo no combate às alterações climáticas através da sua própria mudança de comportamento. A campanha estará em todas as grandes mídias e criará também uma gigantesca mobilização nas redes sociais, convidando cada pessoa a plantar uma árvore na Amazônia.

A escolha da cidade

A ideia desta iniciativa surgiu em 2015, quando a equipe do Rock in Rio foi procurada pela Prefeitura de Manaus. “Fomos desafiados pelo Prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, a promover um evento na região como forma chamar atenção para a importância da floresta no equilíbrio da vida em todo o planeta. O desafio foi totalmente ao encontro do compromisso que assumimos desde 2006 de contribuirmos ativamente no combate às alterações climáticas”, detalha Roberto Medina.

O prefeito explicou que as tratativas começaram a evoluir ainda em 2015, quando a direção do Rock in Rio o convidou para conhecer o evento e discutir o projeto socioambiental. O primeiro encontro aconteceu durante o Rock in Rio do ano passado e depois de muitas outras reuniões, chegou-se à concepção do Amazônia Live.

“Mostramos que Manaus tinha potencial para receber um grande evento. Fizemos um vídeo com imagens da Ponta Negra e do Réveillon na praia. Eles ficaram encantados e passamos a nos reunir periodicamente até chegar a um entendimento bom para ambas as partes. É bom ver um investimento privado na região, sobretudo em momento econômico tão tenso no País”, apontou Arthur Neto.

O Amazônia Live poderá ser acompanhado pelo mundo inteiro, com live streaming pela internet, e em todo o Brasil pela transmissão do Multishow.

 

Parceiros

O dia 27 de agosto marcará o ponto alto do projeto. Serão investidos mais de R$ 28 milhões nessa iniciativa, incluindo custos de plantio, assistência técnica, monitoramento e gestão, campanhas de mídia, produção do show e gastos logísticos.

A iniciativa do Rock in Rio para o plantio de árvores já conta com parceiros, como Itaú, Manaus Luz, Manaus Ambiental, Banco Mundial, Universidade Estácio de Sá, e Gol. Além de um milhão de árvores garantidas pelo festival, os parceiros também já se comprometeram com a causa elevando este número para 2,1 milhões.

O Rock in Rio é o maior evento de música e entretenimento do mundo. Criado em 1985 e com 31 anos de vida, é parte relevante da história da música mundial. O evento já soma 16 edições, 96 dias e 1498 atrações musicais. Ao longo destes anos, mais de 8,2 milhões de pessoas passaram pelas Cidades do Rock.

Fotos: Antônio Fernandes
Comentários

Deixe uma resposta