Comunitários do Tupé terão aulas de inglês para receber turistas

Foto: Arlesson Sicsu/Semmas Comunitários da RDS do Tupé

Comunitários da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Tupé terão a oportunidade de aprender noções básicas de conversação em inglês com o curso que será oferecido na unidade de conservação pelo Programa Olimpíadas, desenvolvido pela Prefeitura de Manaus, por meio da Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi).

O curso terá carga horária de 36 horas/aula e visa possibilitar aos ribeirinhos um conhecimento básico da língua inglesa, com foco na realidade da RDS, que lhes permita um contato com os turistas estrangeiros que visitarão a reserva, principalmente no período dos jogos das Olimpíadas, em junho.

Estão inscritos 40 moradores das seis comunidades que integram a RDS. A iniciativa conta com a parceria da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), órgão gestor da reserva.

Uma equipe formada por representantes dos três órgãos realizou uma visita à comunidade do Livramento, onde o curso será ministrado para conhecer a realidade da comunidade e as principais demandas dos ribeirinhos em relação ao receptivo turístico.

Também participarão do curso canoeiros da Cooperativa dos Profissionais de Transporte Fluvial da Marina do Davi (Acamdaf). “Os moradores das comunidades estão entusiasmados com o curso e se organizaram antecipadamente para participar, tendo em vista que para eles é uma oportunidade de melhorar o atendimento ao visitante local e estrangeiro por meio de projetos que incentivem a sustentabilidade do turismo de base comunitária da reserva”, afirmou o gestor da RDS, Elves Haeser.

De acordo com a coordenadora do Programa Olimpíadas, Rafaela Costa, o curso será oferecido duas vezes por semana, com aulas às terças e quintas-feiras, das 8h às 11h. O início das aulas acontecerá no dia 14 de junho, se estendendo até o dia 21 de julho. Segundo Rafaela, o contato prévio com a comunidade permitiu a elaboração de uma apostila onde serão abordadas as principais necessidades de conversação apropriadas ao turismo desenvolvido na área.

“Os ribeirinhos serão capacitados a entender e pronunciar frases prontas, saudações iniciais, informações sobre a própria RDS, alimentos, entre outros tópicos da abordagem ao turista”, explicou Rafaela.

A Espi disponibiliza, também, cursos de capacitação que podem ser oferecidos às comunidades, a partir das demandas surgidas, entre eles, o Aprendendo a Empreender, Manipulação de Alimentos e Bebidas e Apresentação de Cardápios.

A RDS do Tupé é formada pelas comunidades Agrovila, Julião, Livramento, Colônia Central, São João do Tupé e Tatulândia. Está situada a 25 quilômetros do Centro de Manaus, do lado esquerdo do Rio Negro, fazendo parte do Mosaico de Áreas Protegidas do Baixo Rio Negro. O local recebe bastante visitantes ao longo do ano, sobretudo durante o Verão Amazônico. Os visitantes apreciam as belezas naturais e a culinária local, com destaque para a Praia do Tupé, na comunidade São João, e o roteiro Tucorin, com caminhadas interpretativas dentro da RDS.


Texto: Júlio Pedrosa/Semmas

Comentários

Deixe uma resposta

Mostrar botões
Esconder botões
X