Revezamento da Tocha no Amazonas termina com visita a pontos turísticos do Estado

Foto: Karla Vieira Passage da Tocha Olímpica

No segundo dia da passagem da Tocha Olímpica Rio 2016 pelo Amazonas, a chama símbolo dos jogos mundiais deu início à rota fluvial pelo rio Negro, onde passou por vários pontos turísticos do Estado, saindo do píer do Tropical Hotel, por volta de 10h.

 

O comboio seguiu em direção ao flutuante do Boto Vermelho, projeto do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônica (Inpa), onde teve um momento de interação com os botos. O condutor David de Souza, que cuida dos animais, foi o responsável por carregar a tocha dentro do rio, nadando lado a lado com o símbolo da fauna amazonense.

 

Em seguida, duas comunidades indígenas, da etnia Dessana, receberam a visitação da tocha, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé. O local, que tem projetos ambientais desenvolvidos pela Prefeitura de Manaus, foi escolhido por ser um dos pontos turísticos mais visitados no entorno de Manaus.

 

Na primeira, o cacique Domingos Veloso Vaz foi o responsável por receber a Chama Olímpica junto à comunidade. Uma pequena celebração em homenagem ao fogo, símbolo universal de vários povos, foi realizada. Comunitários, ribeirinhos e outros indígenas, que vivem no local, presenciaram com grande curiosidade o evento histórico.

 

Na segunda parada da Tocha na RDS do Tupé, o cacique Raimundo Kissibi Kumu Vaz, 68, conhecido como “Raimundo Pajé”, recebeu a tocha e repassou-a ao filho, Reginaldo Fortes Vaz, como símbolo de continuidade de seu legado xamânico. A celebração reuniu, ainda, mulheres Dessanas que ofertaram frutos ao Símbolo Olímpico como forma de agradecimento pela visita.

 

A celebração, que teve duração de quase 15 minutos, ocorreu dentro da Mata, a dois quilômetros da praia, aproximadamente. O local, denominado Floresta Cultural Herisaro é considerado sagrado pelos indígenas da RDS. Uma oca foi construída para servir de berço das tradições xamânicas, não apenas da língua, danças e costumes.

 

“Foi uma surpresa muito grande, uma honra mesmo. Nosso povo tem o sol como uma divindade sagrada que é representada pelo fogo, por isso, a tocha aqui tem muito significado para nós”, afirmou “Raimundo Pajé”.

 

“Inicialmente soube apenas que meu pai seria condutor. Quando meu nome foi confirmado, meu coração bateu acelerado, cresceu algo grande dentro de mim, que não soube explicar’, afirmou Reginaldo.

 

Para Umussy Dessana, filha do cacique, a passagem da tocha representou um momento histórico no País e em sua comunidade. “Nunca imaginamos isso aqui. É um momento que vai ficar para sempre com a gente”, explicou.

 

Um revezamento na orla da Ponta Negra, com a participação de uma equipe de atletas de caiaque também marcou a rota da fluvial da Tocha Olímpica Rio 2016 em Manaus.  Na sequência, o comboio seguiu para a comunidade Catalão, onde seu Manuel Alves da Silva, 59, foi responsável por conduzir a Tocha.

 

Patriarca da maior família da comunidade, ele não escondeu a emoção. “Quando cheguei aqui eram quatro flutuantes. Hoje somos uma comunidade com mais de 100. Vivo da pesca e criei todos os meus filhos assim. Não estou ganhando nada com isso, só o respeito e o elogio da minha comunidade, o que é motivo de orgulho para mim”, afirmou.

 

Seu Manuel seguiu de voadeira até o Encontro das Águas e, por volta de 17h30, passou a chama olímpica para dona Raimunda Araújo de Freitas, 62, tricampeã amazonense de canoagem em dupla. Conduzida de canoa pela filha, ela esbanjou animação no meio do encontro dos rios Negro e Solimões. “Uma pessoa como eu, nascida e criada na comunidade do Catalão nunca poderia imaginar que poderia representar um município, que é o meu Iranduba”, afirmou.

 

Operações Especiais

 

O trajeto denominado Operações Especiais, que era único, foi dividido em dois por conta da complexidade geográfica da região e para garantir a visitação em todos os locais programados. Uma equipe da Rio 2016 iniciou o revezamento às 7h30 no Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs) e seguiu, depois do meio-dia, para o município de Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus).

 

A programação na Terra das Cachoeiras teve início às 16h, passando pela Cachoeira de Iracema e pelo Parque Urubuí. Ao todo, 15 condutores participaram do segundo dia da Tocha Olímpica Rio 2016 no Amazonas.

 

X