Prefeitura nomeia comissão do Edital de Conexões Culturais

Foto: Divulgação nomeação comissão de seleção edital de conexões culturais

De forma inédita, o recurso destinado ao fomento das Artes e Cultura em Manaus será administrado diretamente pela sociedade civil. Os membros da Comissão de Seleção, que selecionará até 75 projetos do Edital Concurso Prêmio Manaus de Conexões Culturais, foram nomeados pela Prefeitura de Manaus na última sexta-feira, 23/6, segundo o Diário Oficial do Município, edição n° 4151. Eles serão responsáveis por destinar até R$ 2 milhões aos melhores projetos inscritos.

Dos sete membros, cinco foram escolhidos pelo próprio segmento cultural, por meio de duas etapas: a primeira, com a indicação de nomes com notório saber em Artes e Cultura; e a segunda, por meio da votação direta dos nomes que tiveram o currículo aprovado. Os outros dois nomes que integram a Comissão de Seleção são técnicos da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscut), conforme previsto no Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais.

“A administração municipal da cidade de Manaus vem avançando de forma contínua por meio dos editais voltados ao fomento das Artes e Cultura. Entendemos que implementar políticas públicas por meio de editais é uma das formas mais democráticas, isentas e transparentes, por permitir que os projetos tenham chances iguais. Agora, estamos oportunizando aos artistas e à população em geral a escolha de suas próprias finalidades culturais por meio da Comissão de Seleção, eleita por eles mesmos”, afirmou o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula.

Perfis

Dos cinco membros nomeados para a Comissão de Seleção do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, três foram escolhidos por pessoas jurídicas, entidades representativas; e dois por pessoas físicas, agentes culturais.

O bailarino e professor de dança clássica Getúlio Lima; o historiador e artista Jorge Bandeira; e o bailarino, coreógrafo e articulador cultural de Goiás Sacha Witkowski foram os mais votados na categoria Pessoa Jurídica.

Getúlio Lima

Mestre em Letras e Artes pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Getúlio Lima é membro do Corpo de Dança do Amazonas (CDA), desde 1998. Atuou como bailarino, diretor adjunto, assistente de coreografia e professor de Balé Clássico do CDA. Atualmente, responde pela direção artística do grupo e é professor efetivo no Curso de Dança da UEA, além de coordenador pedagógico do Projeto de Extensão “Polo Arte na Escola UEA”. Integrou a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura (CNIC/MinC), no biênio 2015/2016.

Jorge Bandeira

Jorge Bandeira é historiador com graduação e pós-graduação na área de História, História Social da Amazônia (Ufam) e Africanidades pela Universidade de Brasília (UnB). É professor do Curso de Teatro da UEA, ator, diretor, dramaturgo, crítico de artes cênicas, tradutor e escritor. Atualmente, administra também o Sebo e Espaço Cultural O Alienígena.

Sacha Witkowski é articulador cultural e bailarino. Tem experiência na área de Artes e Políticas Públicas, com ênfase em Dança e editais de cultura, atuando principalmente nos segmentos temáticos de Eventos – Festivais e Encontros e Política e Gestão Pública para a Cultura e para a Dança. Atua no grupo de pesquisa Interartes: processos e sistemas interartísticos e estudos de performance.

Na categoria pessoa física, receberam a maior quantidade de votos a consultora de projetos e professora Fátima Souza, e o militante da cultura urbana, fundador da Organização Favelafro, Lamartine Silva.

Fátima Souza

Mestre em Letras – Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Fátima Souza atualmente é professora assistente da Escola Superior de Tecnologia da UEA e pesquisadora da Cátedra Amazonense de Estudos Literários. Possui experiência na área de Gestão Pública de Cultura e de Juventude.

Lamartine Silva

Lamartine Silva é discente do curso de Pedagogia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), produtor cultural, MC, fundador do movimento Hip-Hop nos estados do Piauí e Maranhão, membro da rede MHHOB (Movimento Hip-Hop Organizado Brasileiro) e membro Rede Mocambos, rede de comunicação e tecnologia livre para populações negras. Foi Conselheiro Nacional de Cultura e Juventude, representando o povo afro. Atua em projetos sociopolíticos, culturais e ambientais desde 1992, e desempenha ações étnico-raciais, de cidadania, educação e hip-hop em Manaus.

Conexões Culturais

O Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2017 traz este ano a proposta de projetos abertos, sem a necessidade de classificação em uma única linguagem.

O montante de R$ 2 milhões está dividido em quatro módulos financeiro 20 prêmios no valor de R$ 10 mil, 15 prêmios de R$ 20 mil, 30 prêmios de R$ 30 mil e dez prêmios de R$ 60 mil.

O edital completo está disponível aqui no site.


Mônica Figueiredo
Equipe Viva Manaus

Comentários
Mostrar botões
Esconder botões
X