Curumim vai encontrar Hello Kitty no Japão

Foto: Divulgação Mário Adolfo

O empresário paulista João Gilberto Vaz é dono de uma empresa que vende imagens de satélite e embaixador da Casa da África, a maior casa temática feita para os Jogos Olímpicos Rio 2016. É conhecido no mundo dos negócios por sua ousadia, a ponto de já ter montado um clube de futebol no Brasil, formado por craques árabes refugiados. Foi ele que em suas andanças pelo Amazonas pousou os olhos sobre o personagem de quadrinhos Curumim, criação do jornalista e cartunista amazonense Mário Adolfo, e viu um potencial para transformar o indiozinho em um produto que possa representar, em nível internacional, não só “o último herói da Amazônia”, “mas o orgulho do Brasil”, um país que está precisando de heróis do bem e de mensagens humanistas”, comenta Vaz.

Confira a entrevista:

 — O personagem Curumim, do jornalista e cartunista Mario Adolfo tem 34 anis, como o senhor teve acesso a esse trabalho do amazonense e o que mais lhe atraiu nos quadrinhos?

João Gilberto Vaz, empresário –  Através de uma amiga que conheceu o jornalista  Mário Adolfo. Daí tivemos uma primeira reunião e já pudemos alinhar as nossas ideias sobre como promover esse personagem único do Amazonas. Vou fazer tudo que estiver ao meu alcance para promover o Curumim mundo afora. Já visitei mais de 140 países em todos os continentes do planeta e já quebrei até o recorde do Livro do Guinness como o passageiro com maior coleção de cartões de embarques, portanto acho que me credencio como alguém que conhece bem o mundo e posso assim ajudar o criador do Curumim a encontrar as parcerias corretas para promover o nosso personagem em um contexto global.

— E como o senhor pretende investir no Curumim no para inseri-lo no mercado dos quadrinhos e de marcas internacionais?

João Vaz – Eu acredito que o Curumim é o personagem natural e absoluto para representar o melhor do Amazonas e da Amazônia. Temos que implementar uma estratégia (o que já estamos fazendo) de levar o personagem Curumim para eventos internacionais e criar produtos associados ao personagem. O Oriente Médio e Ásia são potenciais mercados para a difusão do personagem sempre associando o mesmo a marcas, produtos e projetos únicos da Amazônia e principalmente do Estado do Amazonas.

— É verdade que o Curumim vai estar na Jata, a maior Feira de negócios do  Japão?

João Vaz – Sim. Tive a ideia juntamente com a Dra. Oreni Braga da Amazonastur de promover o personagem Curumim como nosso “Embaixador” no vindouro evento da JATA EXPO 2017, que é a segunda maior feira de turismo do mundo. O Curumim deverá ser o nosso mascote do evento assim como o ponto de referência para mostrar o lado bom do Brasil para os milhares de visitantes que estarão presentes no evento da JATA, lá em Tóquio.

— Como um personagem  da Amazônia, que exerce um fascínio sobre os japoneses, o senhor acredita que o Curumim pode conquistar mercados naquele país?

 João Vaz –  Não somente o personagem de quadrinhos, mas o produto Curumim. O mais importante será promover o Curumim como “o ultimo herói da Amazônia e o ORGULHO DO BRASIL”. Estamos precisando

no momento de notícias e fatos novos e de preferência que sejam positivos. O personagem reflete um Brasil sério e vencedor. Com certeza podemos conquistar novos mercados para o Curumim como um catalisador da conscientização da preservação da floresta Amazônica. Os japoneses são famosos por seus “gibis de mangá” e com certeza verão no Curumim um personagem que traz algo de novo e excitante sobre o fascínio sobre a Amazônia.

 –  O senhor pretende  promover um encontro do Curumim com a Hello Kitty. Esse contato com os criadores da personagem japonesa já foi feito?

João Vaz – Sim. Está agendado uma visita ao Parque Puroland que é o parque oficial da Hello Kitty. Já fiz contato com os diretores para apresentar-lhes o personagem Curumim. Ficaram fascinados com esse fato inédito de organizar um encontro com o personagem original da Amazônia com a mundialmente famosa e poderosa Hello Kitty. Vejo sinergias para realizarmos algo em conjunto até mesmo porque a Hello Kitty que tem poder global sobre a formação de opinião das crianças de hoje (adultos de amanhã) poderia fazer muito mais sobre a questão ambiental e especialmente se associar com o seu “amiguinho” Curumim.

 — Os que os diretores da empresa que detém a marca Hello Kitty acharam dessa ideia de um encontro com o Curumim?

João Vaz – Adoraram a ideia. Estamos conversando em total confidencialidade sobre os eventuais termos de uma parceria portanto temos que aguardar a vindoura visita ao Japão em Setembro de 2017 quando teremos também a

presença de uma comitiva oficial do Estado do Amazonas que também estará presente durante o “encontro” do Curumim com a Hello Kitty. Podem existir outros interesses dos japoneses especialmente no que se refere a Zona Franca de Manaus e produtos associados a essa iniciativa.

— Que projetos que estão sendo desenvolvidos  por sua empresa  deverão adotar o Curumim como símbolo do Amazonas e do Brasil?

João Vaz – Se eu fosse o Governador do Estado do Amazonas eu adotaria o Curumim como o mascote oficial do Estado do Amazonas. Utilizaria em todos os documentos e papeis timbrados, logos oficiais do Estado e criaria um conceito de promover o personagem com muito mais afinidade. Imagine o potencial de criarmos algo (no futuro) como a Hello Kitty. A minha opinião é de que se tivermos apoio (primeiro) em nossa casa fica muito mais fácil de obtermos apoio no âmbito internacional . Vou sugerir aos mandatários que adotem o personagem como mascote oficial do Estado do Amazonas.

— O que existe de fundamento na informação de que existem chances  do “último herói da Amazônia” fazer parte de um parque temático?

João Vaz – Obviamente. Já fechamos a parceria com o criador do mascote/personagem para que o Curumim seja o mascote oficial do Amazonas Biopark (parque temático original do Amazonas que está sendo modelado) assim como a iniciativa do “Fly Amazonas” que será um programa de compensação de emissões de carbono voltado a atender o segmento de empresas aéreas globais. Já estou elaborando tratativas com empresas aéreas globais para que o Curumim seja o tema da revista de bordo para as crianças e adolescentes como uma maneira de conscientiza-los da importância da Amazônia.

Somente uma dessas empresas tem mais de 200 aeronaves, realiza diariamente mais de 3000 voos diários para mais de 140 países. Imaginem o impacto para a promoção do Amazonas através do Curumim se conseguirmos colocar essa revista de bordo infantil do Curumim nessa magnitude de alcance global. Por isso mesmo que vamos necessitar de muito apoio do Governo do Amazonas para que tenhamos o reconhecimento local sobre o personagem/mascote. Tudo isso será formalmente anunciado durante o evento da JATA 2017 em Tóquio – Japão.


Via Blog do Mario Adolfo

X