Último dia para recurso do Edital de Conexões Culturais

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

Os proponentes do Edital Concurso Prêmio Manaus de Conexões Culturais que tiveram seus projetos inabilitados têm até esta terça-feira, 29/08, para apresentarem recurso junto a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). O recurso deverá ser protocolizado no Protocolo da fundação até às 17h.

O resultado dos projetos aprovados está disponível aqui no site. No total, a Comissão de Seleção, composta por cinco membros escolhidos pelo próprio segmento artístico-cultural e dois representantes da Manauscult avaliou 285 projetos de um universo de mais de 580 inscritos.

Foram objeto de análise da Comissão de Seleção somente os projetos que passaram pela avaliação da Comissão Técnica, responsável por verificar a apresentação de documentação exigida no edital. O edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais disponibilizou até 75 vagas para quatro módulos financeiros, sendo: 20 prêmios no valor de R$ 10 mil (módulo 1); 15 prêmios de R$ 20 mil (módulo 2); 30 prêmios de R$ 30 mil (módulo 3) e 10 prêmios de 60 mil (módulo 4).

Com o resultado foram aprovados 68 projetos, nas respectivas modalidades: 12 projetos no módulo 1; 15 projetos no módulo 2 e mais três suplentes; 30 projetos no módulo e mais 3 três suplentes; e 10 projetos no módulo 4 e mais 2 suplentes, totalizando 67. Os suplentes somente são contemplados em caso de perda do direito de algum dos projetos selecionados; na hipótese do proponente contemplado não comparecer para assinar o Termo de Concessão de Apoio Financeiro ou recusar-se a fazê-lo; ou no caso de não apresentar todos os documentos solicitados.

Ineditismo

Esta foi a primeira vez que a Comissão de Seleção, responsável pela escolha dos projetos, foi uma escolha aberta da sociedade civil. Dos sete membros, cinco foram escolhidos pelo próprio segmento cultural, por meio de duas etapas: a primeira com a indicação de nomes com notório saber em Artes e Cultura; e a segunda, por meio da votação direta dos nomes que tiveram o currículo aprovado.

Lamartine Silva, conhecido como Negro Lamar, militante da cultura urbana e fundador da Organização Favelafro, foi um dos membros da comissão e destacou que ter uma comissão composta pela escolha da própria sociedade era uma demanda da classe que se concretizou este ano.

“A Manauscult foi sensível à causa e, pela primeira vez, foi aberto um edital público com uma comissão formada pela sociedade civil. Isso para mim foi um aspecto bastante democrático e positivo. Embora a gente entenda que alguns projetos bons ficaram de fora, por questões técnicas e de avaliação da comissão, tivemos outros contemplados em diferentes linguagens artísticas, desde o hip hop à musica clássica. Pela primeira vez alguém do hip hop participou do júri e isso mostra, de certa  forma, a variabilidade dentro do edital que abrangeu o máximo de pessoas de diversas linguagens para que o resultado fosse mais amplo possível”, destacou.

Os demais membros que compõem a Comissão de Seleção eleita são: o bailarino e professor de dança clássica Getúlio Lima; o historiador e artista, Jorge Bandeira; e o bailarino, coreógrafo e articulador cultural de Goiás, Sacha Witkowski, e a consultora de projetos e professora Fátima Souza.


Gessiane Garcia
Equipe Viva Manaus

X