Comissão técnica avaliará artistas do Boi Manaus 2017

Foto: Steffanie Schmidt/Manauscult Comissão Técnica Boi Manaus 2017

A partir deste ano, uma comissão técnica avaliará a participação dos artistas que se apresentarão no Boi Manaus, evento que, tradicionalmente, celebra o aniversário da cidade. Dos 27 artistas, os 24 melhores avaliados ganharão o direito de se apresentarem na próxima edição da festa. Os três últimos colocados abrirão vaga para novos nomes do boi-bumbá. Os bois de Manaus não serão avaliados.

Neste primeiro ano de avaliação, cinco nomes integram a comissão técnica: Cid Soares, Ney Amazonas, Sinny Lopes, Nonato Torres e Francis Madson, todos com notório conhecimento da cultura popular do Amazonas. Dos cinco, três nomes surgiram a partir de indicação dos representantes da Associação dos Artistas do Boi Bumbá e dois indicados pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). O quantitativo e formato foram definidos em comum acordo entre as partes durante primeira reunião realizada sobre o Boi Manaus 2017.

O diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, explica que a partir deste processo será possível garantir uma maior rotatividade de artistas durante o evento que acontece anualmente, colaborando para o surgimento de novos nomes e entregando ao público o que há de melhor dentro do segmento do boi-bumbá.

“Os artistas serão avaliados pelo repertório, pelo desenvolvimento nos trios e sua qualidade musical. Os melhores avaliados já garantirão uma vaga para a próxima edição do Boi Manaus. Acreditamos que esta é uma forma de valorizarmos nossa cultura popular e permitirmos que novos artistas tenham a oportunidade de mostrar seus trabalhos nesta que é uma das festas mais tradicionais da nossa cidade”, comentou Monteiro de Paula.

As avaliações serão feitas durante as apresentações dos artistas nos dois dias do Boi Manaus, que neste ano acontecerá no Complexo Turístico da Praia da Ponta Negra, nos dias 23 e 24/10. Serão levados em consideração os critérios: apresentação (que terá peso 2) e portfólio (peso 1).

Critérios

Na tarde deste sábado, 21/10, os cinco membros da comissão se reuniram com a diretoria da Manauscult para definirem os últimos ajustes para avaliação. A comissão definiu que os bumbás de Manaus não terão acesso ou descesso por serem representativos da história do folclore de Manaus; os grupos Kuarup e Kamayurá entrarão no julgamento, porém, com critérios diferenciados; e as notas serão individuais, sendo que cada artista receberá a média aritmética das notas de cada item.

“Eu acredito que esta forma de avaliação vai exigir de cada artista que ele ofereça o melhor para o público. Acho que alguns se acomodaram, ao longo do tempo, e acho que isso vai aumentar a preocupação de cada um para se manter dentro do contexto”, explicou Ney Roberto, um dos membros da comissão.

Já Sinny Lopes destacou a rotatividade e a qualidade que os artistas deverão apresentar em seus shows e que deverão ser avaliadas.

“Essa proposta gera uma rotatividade produtiva. Isso busca um aprimoramento e uma nova etapa, nova era pro Boi Manaus. O principal fator dessa proposta da comissão em julgar os artistas é para que as próximas edições do Boi Manaus tenham a qualidade que o público merece, dando oportunidade a quem está produzindo, para quem está entrando, e assim quem ganha é o público”.

Avaliação

Os cantores serão avaliados quanto ao repertório, desenvolvimento (figurino, coreografia, interação com o público) e qualidade musical. Quanto ao portfólio, será levada em consideração a discografia, agenda de apresentações comprovadas em Manaus e fora da cidade, composição e produção autoral.

Já os grupos Kamayurá e Kuarup serão avaliados quanto ao repertório, coreografia, conjunto (adereços, destaques, efeitos, figurino) e qualidade musical (banda, cantor e arranjos).


Mônica Figueiredo
Equipe Viva Manaus

X