Orquestra Experimental celebra dez anos

Foto: Bárbara Umbra/Divulgação

Seguindo as comemorações dos 20 anos da Amazonas Filarmônica e dos 15 anos da Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA), chegou a vez da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica festejar seus 10 anos de trajetória. A celebração acontece em concerto especial nesta quinta-feira, 23/11, às 20h, no Teatro Amazonas, dentro da Série Guaraná XIV. Ingressos para plateia e frisas já estão à venda na bilheteria do local; os demais assentos são livres.

A Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica comemora sua primeira década de vida com o concerto “10 Anos de Sucesso”, revisitando composições que fizeram parte da trajetória do grupo ao longo desse período. A orquestra foi criada em 2007, sendo mantida pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Além dos integrantes da orquestra, que reúne instrumentistas em formação e profissionais da Amazonas Filarmônica, a apresentação terá algumas participações especiais. “Para esse concerto, que celebra dez anos de Orquestra Experimental, convidamos todos os músicos que já passaram pela orquestra e que hoje estão na Amazonas Filarmônica”, informa Marcelo de Jesus.

Década de conquistas

A Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica foi criada em 2007, pelo maestro Luiz Fernando Malheiro, como forma de complementar a formação de instrumentistas para ocupar os assentos das orquestras mantidas pela Secretaria de Cultura do Amazonas.

“É uma orquestra que foi criada para ser um celeiro de profissionais, e nesses dez anos ela já soma três ou quatro gerações de músicos. Ela reúne instrumentistas ainda não profissionais, que desenvolvem as habilidades requeridas para tocar numa orquestra por meio do trabalho diário com os monitores, que são músicos profissionais da Amazonas Filarmônica, e também com os maestros”, explica De Jesus.

PROGRAMA
Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica: 10 Anos de Sucesso

Jean Sibelius (1865-1957)
“Finlândia”, poema sinfônico op.26 (1900)

Claudio Santoro (1919-1989)
“Ponteio”, para orquestra de cordas (1953)

Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840-1893)
“Romeu & Julieta”, abertura-fantasia (1880)

Sergei Prokofiev (1891-1953)
“Pedro e o Lobo” (parte final), op.67 (1936)

Antônio Carlos Gomes (1836-1896)
Sinfonia da ópera “Il Guarany” (1870)

João Guilherme Ripper (1959)
Dança para espantar a Onça Celeste, da ópera “Onheama” (2014)

Arturo Márquez (1950)
“Danzón n.2” (1994)

Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica
Regência: Luiz Fernando Malheiro, Marcelo de Jesus e Otávio Simões


via Portal da Cultura

Comentários
Mostrar botões
Esconder botões
X