Grupo de Acesso B encanta Sambódromo com ar grandioso

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

Embora reduzido, o Grupo de Acesso B não deixou de abrilhantar a primeira noite do Desfile das Escolas de Samba de Manaus na madrugada desta sexta, 9, para o sábado, 10. Quatro agremiações levaram seus sambas-enredo para a Avenida do Samba, falando sobre temas que foram de personalidades locais até mesmo à cultura boêmia da cidade.

Abrindo o desfile do grupo, a Mocidade Independente da Raiz cantou a história do carnavalesco Heroldo Linhares em uma singela homenagem. Em seguida, foi a vez da Presidente Vargas celebrar no Sambódromo a cultura de bar, falando sobre bares considerados patrimônios culturais da cidade, como o Bar do Armando e Jangadeiro.

Penúltima escola a entrar na pista, a Império do Hawaí celebrou os 40 anos de samba e de folclore de outro carnavalesco, Antônio Alfaia, figura importante para a história da própria escola.

A coreógrafa da comissão de frente da escola, Carla Kelcy, afirmou esperar uma boa repercussão do desfile. ”Estamos nos preparando desde fevereiro do ano passado, e as expectativas são as melhores para desfilar. Este ano estamos homenageando o seu Alfaia, com um enredo que conta quarenta anos de Carnaval, e vamos levar pra avenida muita alegria e felicidade”, disse.

Já a riqueza e fartura do município de Rio Preto da Eva foram retratadas em samba-enredo pela Mocidade Independente do Coroado, que entrou sob uma farta queima de fogos. A última escola a desfilar pelo grupo B é conhecida pelo trabalho de capacitação que realiza ao longo do ano, com uma comunidade que transmitiu alegria do início ao fim do desfile.

Para o presidente de honra e fundador da escola, Montelo Lira, foi um momento de reconhecimento do trabalho da agremiação. “Tudo o que fizemos foi planejado com muita cautela e humildade, pensando sempre na responsabilidade que temos. Graças a Deus, nos preparamos e cumprimos nosso papel – a Mocidade Independente do Coroado é uma escola de nome, que tem a progressão de crescer cada vez mais.”

“Eu tenho certeza que, com a alegria que nós trouxemos para cá, teremos um resultado satisfatório. Já homenageamos Rio Preto da Eva em 2002, mas agora que o município vive um novo momento, resolvemos fazer novamente – e a comunidade abraçou esse enredo”, destacou Montelo.

As escolas de samba Meninos Levados e Unidos da Cophasa, ambas do Grupo de Acesso B, decidiram por não participar do desfile. A festa continua com o Grupo de Acesso A, composto por mais seis agremiações.

Desfile do GRUPO B


Gabriel Oliveira e Fabrinne Guimarães
Equipe Viva Manaus

X