‘Tá Boa Bonita’ estreia ao ar livre no Centro Histórico de Manaus

Foto: Paulo Trindade/Coletivo Difusão

O fervo é informação, cultura, diversidade, respeito e também luta contra LGBTfobia, e a proposta do Tá Boa Bonita busca ir além de tudo isso. O evento tem o objetivo estabelecer um diálogo sobre as necessidades de políticas públicas referentes à comunidade LGBT+ e utilizar as linguagens culturais como ferramenta de visibilidade. A atividade acontecerá no próximo sábado, 3/3, a partir das 14h, na Av. Sete de Setembro, em frente ao Les Artistes Café Teatro, sob o comando das artistas Maria Moraes e Uyra Sodoma/Emerson Munduruku.

A abertura contará com os shows de Elisa Maia, Rodrigo Baroque e banda, MCs Lary Go & Strela e performance audiovisual do Projeto Aram. A música ainda continua com discotecagem de Luana Aleixo, Ademar Marinho, Marcelo Nobre, Rhanna Evans e Alana Zuany. A programação terá ainda rodas de conversa: “Vida de Transexuais Importa”, com a Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Estado do Amazonas (ASSOTRAM); “LGBTfobia”, com Marília Freire; “Direitos Humanos”, com Tiana Amiles; “Saúde Lésbica”, com a assistente social Keth Prestes; “Políticas Públicas LGBT+”, com o Conselheiro Municipal da Juventude LGBT+ e Manifesta LGBT+ Gabriel Mota; “Processos Criativos para Emancipação Feminina”, com Michelle Andrews, do Coletivo Difusão; e “Saúde Trans”, com John Elton Santos, da Associação Amazonense de Saúde Mental e Coletivo O Gênero.

Outras linguagens artísticas integram o evento, como a vídeo-instalação “Aqui”, de Keila Serruya; exposição de Paulo Mendes; performances de Fran Martins; e videomapping de Rodrigo Duarte. O “Tá Boa Bonita” constrói um espaço para conhecimento das múltiplas e complexas realidades culturais e simbólicas, além de construir e reconstruir identidades adormecidas e especialmente o resgate da autoestima e o posicionamento de atores sociais em uma das metrópoles da Amazônia.

“O ‘Tá Boa Bonita’ foi criado justamente para empoderar a comunidade LGBT+. Mostrar a diversidade artística em um evento gratuito. Nessa versão de bloco teremos uma mistura para estimular o rompimento de barreiras e a quebra de muitos preconceitos a partir da própria comunidade artística”, comentou Naty Veiga, idealizadora e responsável pela produção.

O projeto “Tá Boa Bonita” tem apoio da Secretaria de Estado da Cultura (SEC), Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Estado do Amazonas (Assotram), Penélope’s Drive, Coletivo Difusão, Miga Sua Lôca Festival Cultura LGBT, Centro Popular do Audiovisual (CPA), Vdr digital, Sonora Music e Manifesta LGBT+.


Com informações da assessoria

X