Após cinco dias de atividades, a Semana do Livro “Shakespeare, sempre e por toda a parte” chegou ao fim nesta sexta-feira, 27/4. Atividades no Les Artistes Café Teatro, no Centro Histórico de Manaus, marcaram o fim do evento que também teve programações no Paço da Liberdade, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e ainda no Instituto Cultural Brasil-Estados Unidos (Icbeu).

No Café Teatro a programação iniciou às 14h30 com a encenação de “De Julietas e Romeus”, com o grupo do Projeto Drummond na Parada, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A peça composta por oito atores recriou a cena da bancada em que Romeu e Julieta trocaram a primeira jura de amor. A cena foi dirigida pela professora Carolina Cecília.

Para a atriz Mariana Libório reviver a obra é sentir a história de forma mais viva séculos depois. “Se eu pudesse escolher outra cena para reviver, seria o momento do baile, pela famosa frase ‘que os lábios façam o que as mãos praticam no ato da oração’. Eu adoro todas as obras pela riqueza das palavras que encantam gerações. Se um dia eu puder reviver outro personagem seria ‘Ofélia’ da obra de ‘Hamlet”, concluiu a atriz.

Palestra

Em seguida o escritor Márcio Souza acompanhado dos professores Maria Evany Nascimento e Jhon Weyner promoveram a palestra “Shakespeare, sempre e por toda a parte”, mediada pelo professor José Seráfico, um dos idealizadores da semana em Manaus.

Para Márcio Souza falar sobre Shakespeare é reviver riquezas daquela época. “Essa homenagem feita a ele é para mostrar a vida de uma pessoa humilde que fez sonetos incríveis, peças teatrais que um dia seriam tão famosas. É por meio de homenagens como essas que pessoas podem ter mais contato com ele e suas obras. E ver os alunos da UEA encenando suas obras, nos mostra o talento dos nossos artistas locais”, salientou.

O professor Jhon Weyner destacou que as obras e vida de Shakespeare merecem mais de uma semana para serem apresentadas ou apreciadas, pois existe um mundo grandioso de obras a serem explorados e mostrados para todos.

Durante sua explanação, a professora Maria Evany Nascimento, apresentou a cidade onde Shakespeare nasceu. “Não é uma cidade comum. É uma cidade preparada, que vive do turismo justamente porque Shakespeare nasceu lá. E para quem gosta das obras dele certamente vai querer visitar a cidade de Stratford Upon-Avon. Ela vive dessa alma encantadora que ele deixou, ou seja, a cidade guarda uma mágica do nascimento dele até a sua morte para depois revivermos”, comentou.

No último dia de programação, José Seráfico, antecipou o homenageado da Semana do Livro 2019. Após Miguel de Cervantes e William Shakespeare, o escritor Guimarães Rosas será o grande homenageado.

Encerrando as atividades o grupo de teatro Tufam, da Ufam, encenou um trecho da peça “A Maldição da Rainha”.

Semana do Livro

Promovida pela Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult)  iniciou no último dia 23, data que comemora o “Dia Internacional do Livro” e que também celebra a morte dos escritores Miguel de Cervantes, homenageado no ano passado, e William Shakespeare, homenageado desta edição.

 

Equipe Viva Manaus

Fotos: Ingrid Anne / Manauscult

Deixe uma resposta