Óscar Ramos ganha exposição em homenagem aos seus 80 anos

Foto: Altemar Alcântara/Semcom

A exposição “Poemas Visuais e Retrospectiva” marcou o dia de homenagens ao artista amazonense Óscar Ramos, no sábado, 11/8, no Studio 5, zona Sul. Reunindo obras de diferentes períodos da carreira do artista, a exposição integrou uma das atividades realizadas em homenagens aos 80 anos de Óscar Ramos, que serão celebrados no próximo dia 31, e contou, ainda, com a exibição de um documentário, com direção de Sérgio Cardoso, e um talk show.

Nascido em Itacoatiara, interior do estado do Amazonas, distante a 269 quilômetros de Manaus, Óscar é um dos principais nomes das artes visuais no Brasil, tendo, inclusive, realizado trabalhos com grandes nomes da música brasileira, assinando capas de discos de Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Gal Costa, por exemplo, além de trabalhos premiados no exterior.

Em um momento de conversa na companhia do artista José Cardoso, vice-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e curador da exposição, e do escritor e presidente do Conselho Municipal de Cultural (Concultura), Márcio Souza, Óscar Ramos falou sobre sua carreira ao longo dos últimos 60 anos.

Óscar visitou a exposição, conversou com os convidados e falou da emoção de ser homenageado. “De fato é muito emocionante. Eu não estou acostumado com tudo isso, mas eu jamais me furtaria a me levar pela emoção deste presente pensado com tanto carinho pelo José Cardoso, com apoio da Manauscult. Fico feliz!”, comentou o homenageado.

Já o curador da exposição e amigo de Óscar, José Cardoso, falou que este foi um grande presente para o público e fãs do artista. Cardoso relembrou os prêmios recebidos pelo homenageado e a importância de seus trabalhos no cenário cultural.

“É um presente pra Manaus celebrar um artista com o peso de Óscar. Quando você celebra um artista como ele, você está celebrando a cultura, as artes, as potencialidades que nós, amazônidas, temos em relação à arte. Ele nasceu em Itacoatiara, passou por Manaus, morou no Rio de Janeiro, onde viveu o fervor da sua carreira, morou na Espanha, Inglaterra, recebeu vários Kikitos, assinou a direção de filmes, comerciais, internacionais, ele foi o cara da época dele, e ainda é ”, destacou.

Quem prestigiou a exposição pôde conferir dois estilos distintos do artista na pintura em óleo sobre tela, desde o início da década de 60, passando pela fase da retícula, que o consagrou nos maiores salões de arte do Brasil, Inglaterra e Espanha, e também na arte digital, que está sendo utilizada na última década para dar forma à sua marcante poesia visual.

11.08.18.Homenagem a Oscar Ramos


Mônica Figueiredo
Equipe Viva Manaus

Deixe uma resposta

X