Centro Cultural Largo de São Sebastião

 

Foto: Clovis Miranda/Semcom

 

Abrange o Teatro Amazonas e seu entorno, reunindo a Casa J.G Araújo, a Casa do Restauro, a Casa Ivete Ibiapina, a Casa das Artes, a Igreja de São Sebastião, a Galeria das Artes e o monumento comemorativo à Abertura dos Portos do Amazonas. São oferecidas diversas atividades para os frequentadores: passeios de charrete, cinema, teatro, música, dança e brincadeiras infantis.

Telefone: (92) 3631-6227

Acesso gratuito a todos os espaços, exceto ao Teatro Amazonas

 


Centro Cultural Povos da Amazônia (CCPA)

 

Foto: Chris Pellet/Manauscult

 

Inaugurado no dia 22 de maio de 2007 pelo Governo do Estado, foi projetado para catalisar a cultura e o conhecimento da Amazônia. O complexo reúne em um só local, informação, educação, entretenimento e pesquisa sobre as populações da Amazônia Ocidental, com objetivo de difundir a cultura e o conhecimento das populações do Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela. No local há um Pavilhão Cultural e uma arena de espetáculos com capacidade para acomodar 17 mil pessoas.

Endereço: Praça Francisco Pereira da Silva, s/n° (Bola da Suframa) – Crespo

Telefone: (92) 2123-5301

Funcionamento: Espaço criança – terça a sexta, das 8h30 às 12h; Demais espaços – 13h às 17h e domingo, 16h às 21h. Entrada gratuita

 


Centro Cultural Usina Chaminé

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

Tombado como monumento histórico do Estado do Amazonas, em 1988, a edificação foi reformada para abrigar a Usina Chaminé. O centro cultural, em seus diversos espaços, abriga atividades diversificadas – espetáculos teatrais e musicais, oficinas de arte, exposições artísticas, cinema, seminários e palestras.

Endereço: Av. Lourenço da Silva Braga, s/n – Centro

Telefone: (92) 3633-3026

Funcionamento: Domingos, das 16h às 20h. Entrada gratuita


Largo Mestre Chico

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

Com área total de 62.312 m², está localizado sob a Ponte Benjamin Constant, entre as ruas Sete de Setembro, General Glicério, Ajuricaba, Ipixuna, Beco Jacinto e Av. Beira Rio. A primeira etapa foi inaugurada dia 25 de setembro de 2008, ocupando uma área que há alguns anos era povoada por uma densa favela de palafitas. O que se vê hoje é um dos maiores exemplos de revitalização de um espaço público. O igarapé do Mestre Chico, que dá nome ao Largo, foi parcialmente aterrado e deu lugar a uma extensa área de lazer, com quadras poliesportivas, trilhas para caminhada, ciclovia, campo de futebol society, praça do mirante, área de ginástica com aparelhos, parquinho para crianças e diversos bares e lanchonetes. Com a revitalização do igarapé Mestre Chico, os moradores do entorno e de outras áreas da cidade ganharam área com novos equipamentos urbanos e paisagísticos. O largo também possui espaços para vendas de alimentos, sorvetes e banca de revistas.

Endereço: Av. Sete de Setembro – Centro

 


Palacete Provincial

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

É uma das edificações mais antigas da cidade. Foi inaugurado em 1875, sendo conhecido por mais de 100 anos como Quartel da Polícia Militar. Está localizado no Centro da cidade e representa um dos principais espaços culturais do município, abrigando atualmente cinco museus em diferentes espaços: Museu de Numismática, Museu da Imagem e do Som do Amazonas, Pinacoteca do Estado, Museu Tiradentes (Museu da Polícia Militar do Estado) e o recém criado Museu de Arqueologia. Nele também passou a funcionar o Ateliê de Restauro de Obras de Arte e o Ateliê de Papel.

Endereço: Praça Heliodoro Balbi, s/nº – Centro

Telefone: (92) 3631-6047

Funcionamento: Terça a quinta, das 9h às 19h; sexta e sábado, 9h às 20h. Entrada gratuita

 


Palácio da Justiça

 

Foto: Chris Pellet/Manauscult

 

Localizado em pleno Centro Histórico de Manaus, na Av. Eduardo Ribeiro, esse majestoso prédio é um dos mais importantes da cidade. Sua construção foi iniciada em 1894 e concluída em 1900, sua arquitetura é uma amostra legítima do estilo neoclássico. Apresenta ampla programação cultural com exposições de pintura, shows de música, leituras dramáticas, teatro, entre outros.

Endereço: Av. Eduardo Ribeiro, 833 – Centro

Telefone: (92) 3248-1844

Funcionamento: Terça a sexta, das 10h às 15h; Domingo, das 17h às 21h. Entrada gratuita

 


Palácio Rio Negro

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

Construído no séc. XX, em 1903, pelo comerciante de borracha alemão Waldemar Scholz, o então conhecido Palacete Scholz revela todo o requinte de uma residência particular dos abastados de uma época. Mudando de dono e rebatizado de Palácio Rio Negro, ele foi adquirido pelo governo em 1917, para tornar-se sede do Poder Executivo e residência oficial do governador, permanecendo assim até 1995.

Em 1997, o Governo do Estado, em virtude de sua beleza arquitetônica e valor histórico, o transformou em Centro Cultural Palácio Rio Negro, com espaços abertos a recitais de música erudita e instrumental, exposições, lançamentos de livros, dança e teatro, além de outras atividades culturais.

Endereço: Av. Sete de Setembro, n.º 1546 – Centro

Telefone: (92) 3232-4450

Funcionamento: Terça a sexta, das 10h às 16h; Domingos, das 17h às 20h. Entrada gratuita