Ponte de Ferro

 

Foto: Chris Pellet/Manauscult

 

A ponte Benjamin Constant foi inaugurada em 1895, durante a administração do governador Eduardo Ribeiro como símbolo de inovação tecnológica trazida pelos ingleses. Possui 161 m de comprimento por 10,50 m de largura e é composta de dois vãos de 20 metros, dois vãos de 30 metros e um vão central de 60 metros, além de duas passarelas laterais. A ponte é feita em estrutura metálica, sistema estrutural em treliça e a infra e meso-estrutura é composta de encontros, pilares e fundações. Os pilares são formados por diâmetros variados com um trecho em pedra argamassa e outro com pedra argamassada revestida por anel metálico e os encontros têm o mesmo processo construtivo dos pilares.

Passou por reformas e restaurações nos anos de 1969 e 1987, e a última grande reforma aconteceu em 2008, após um ano e meio de reforma e restauração executadas pelo Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim). Corrosão, ferrugem e estrutura metálica prestes a desabar levaram a Prefeitura de Manaus a interditar a ponte para pedestres e veículos no primeiro semestre de 2005. Dois anos depois, as casas localizadas embaixo da ponte, foram demolidas e as famílias foram retiradas e transferidas para conjuntos construídos pelo Prosamim ou indenizadas. É considerada como marco histórico da  cidade de Manaus, fazendo a ligação do centro da cidade com o bairro da Cachoeirinha.

Endereço: Av. Sete de Setembro – Centro

 


Ponte Rio Negro

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

Com 3.595m de comprimento, a Ponte Rio Negro é considerada a maior ponte estaiada (com 400m de trecho suspensos por cabos) do Brasil em águas fluviais e a segunda no mundo, atrás apenas da ponte sobre o rio Orinoco, na Venezuela. Ao lado do Teatro Amazonas, vem sendo considerado o maior e mais importante monumento arquitetônico do Estado, além de representar um marco na integração da Região Metropolitana de Manaus (RMM), criada em 2007 com oito municípios amazonenses e cerca de 2 milhões de habitantes. O empreendimento, que liga Manaus ao município de Iranduba (a 27 quilômetros da capital), representa, entre outras coisas, uma solução logística para o escoamento da produção e o transporte de pessoas.

O montante da obra inclui, além dos 3.595 metros da ponte, obras complementares – construção de 7,4 quilômetros de acessos viários do lado de Manaus (1,9 quilômetros) e em Iranduba (5,5 quilômetros), implantação do sistema de proteção dos pilares contra choque de embarcações, sistema de sinalização náutica e o sistema de iluminação da ponte.

Até a construção da ponte, a ligação entre Manaus e Iranduba era feita principalmente por meio de balsas, que levavam cerca de 40 minutos para atravessar o rio. Com a ponte, o tempo de travessia foi reduzido para apenas cinco minutos, facilitando o escoamento da produção agrícola. A Ponte Rio Negro foi inaugurada dia 24 de outubro de 2011, após três anos e 10 meses em construção, como comemoração ao aniversário de Manaus.

Endereço: Rodovia AM-070 (Rodovia Manuel Urbano)