Parque Cidade da Criança

 

Foto: Chris Pellet/Manauscult

 

Ao longo dos quatro últimos anos, o Parque Cidade da Criança consolidou-se como espaço de diversas atividades lúdicas, cursos, oficinas e outras ações, representando arte, conhecimento e entretenimento para o público infantil. Oferece, gratuitamente, às crianças e famílias, um ambiente seguro, confortável e didático. O espaço também passou por reformas e pinturas com adequações de brinquedos e ambientes. Diversos personagens infantis fizeram a alegria dos pequenos com uma programação que envolvia atividades artístico-culturais a exemplo de teatro de fantoches, cinema, dança e música.

Endereço: Rua Castro Alves, n 100 – Aleixo

Telefone: (92) 3631-4757

Funcionamento: Terça a sexta , das 8h às 17h; Sábados e domingos, das 14h às 20h

 


Parque do Mindu

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

Está situado a 15 minutos do Centro da cidade, possui 42 hectares de biodiversidade, sendo uma Unidade de Conservação que é vitrine das espécies de flora, fauna e outros elementos do ecossistema amazônico. Foi criado para proteger o símio sauim-de-coleira que estava em risco de extinção.

Endereço: Rua Perimetral, s/n – Parque Dez

Telefone: (92) 3236-7702

Funcionamento: Segunda a sexta, das 8h às 17h

 


Parque Ponte dos Bilhares

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

O Parque dos Bilhares é um parque urbano localizado em Manaus, às margens do igarapé do Mindu, tendo como limites as avenidas Djalma Batista e Constantino Nery e os igarapés do Mindu e da Cachoeira. Foi inaugurado no dia 24 de outubro de 2006, pela Prefeitura de Manaus, data de aniversário da cidade, com o objetivo de oferecer lazer à população e, ao mesmo tempo, preservando o meio ambiente. Com cerca de 60.000 metros quadrados é dotado de inúmeros play-grounds, bares, pista de cooper, estacionamentos, campo de futebol, teatro de arena, lago artificial, quadras poliesportivas e ciclovia.

Endereço: Av. Constantino Nery, s/n – Chapada

Funcionamento: Todos os dias, das 6h às 23h

 


Parque Senador Jefferson Péres

 

Foto: Chris Pellet/Manauscult

 

O Parque Senador Jefferson Péres é um espaço público edificado em área de antiga invasão de palafitas que interferiam nos igarapés de Manaus e do Bittencourt, dois tradicionais pontos urbanos de Manaus.

O parque tem principal exposição de espécies da flora amazônica num orquidário, ponte metálica, espelho d´agua, pista para caminhada e parque infantil.

Endereço: Av. Lourenço da Silva Braga, 1507 – Centro

Telefone: (92) 3635-5832

Funcionamento: Segunda a sexta, das 06h às 22h

 


Praça Cinco de Setembro

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

A Praça Cinco de Setembro, conhecida popularmente como “Praça da Saudade”, foi inaugurada em 1865 e inicialmente era conhecida como Largo da Saudade. Seus limites se davam com o Instituto de Educação do Amazonas (IEA) e o Cemitério São José, onde hoje se encontra o Rio Negro Clube. Passou à denominação de praça em 1897, mas só em 1932 foram construídos os jardins e passeios.

A praça possui aproximadamente 12,6 mil metros quadrados.

Outro fato ligado à Praça diz respeito à construção do monumento em homenagem a Tenreiro Aranha. A construção do monumento foi proposta pelo vereador Silvério Nery, em 11 de maio de 1883, sendo presidente da Província, José Lustosa da Cunha Paranaguá.

O nome oficial da Praça Cinco de Setembro foi constituído em homenagem a data da Elevação do Amazonas à categoria de Província, uma homenagem também a Tenreiro Aranha que lutou pela emancipação do Grão-Pará.

No dia 30 de abril de 2010, a Praça da Saudade foi reinaugurada. O local passou por ampla reforma e espaços históricos foram recuperados, constituindo atualmente uma das mais belas praças de Manaus.

Endereço: Av. Epaminondas – Centro

 


 

Praça Heliodoro Balbi

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

A Praça Heliodoro Balbi, popularmente conhecida como Praça da Polícia,  era somente uma área descampada em frente ao prédio do  Liceu Provincial Amazonense, antigo Instituto Nacional Superior e Ginásio Dom Pedro II.

O ajardinamento da Praça Heliodoro Balbi, em estilo francês, foi inaugurado com uma grande  festa popular, no dia 23 de  Julho de 1907, data  em que Constantino Nery  fazia  três anos no governo do Estado.

A praça abrigava um belíssimo jardim; um pavilhão de ferro, erguido sobre alvenaria de pedra; um lago artificial, cortado por uma ponte de cimento armado; uma gruta com cascata; uma fonte d’água, construída em ferro fundido; e várias estatuetas de ferro sobre alvenaria e pilastras de ferro.

Localizada em frente ao Colégio Estadual do Amazonas, entre as ruas José Paranaguá, Sete de Setembro, Doutor Moreira e Guilherme Moreira, foi construída numa área de aproximadamente 6.600m quadrados.

Com ações permanentes do poder público, a Praça vem sendo revitalizada, de modo que possa oferecer ao público visitante, opções de lazer e entretenimento.

Endereço: Av. Sete de Setembro – Centro

 


 

Praça do Congresso

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

Localizada em um lugar privilegiado da cidade, no final da Avenida Eduardo Ribeiro, a Praça do Congresso, sofreu intervenções internas e no entorno,  representando,  assim,  a transformação de uma sociedade.

Entre o final do século XIX e início do século XX, que corresponde ao ciclo econômico da borracha, a Praça do Congresso era conhecida como Praça da Saúde, por ficar próxima ao prédio da Saúde Pública de Manaus, demolido em 1974.

Após o nome de Praça da Saúde, a mesma tornou-se Praça Antônio Bittencourt para, somente depois, ser denominada de Praça do Congresso, em virtude da realização do Primeiro Congresso Eucarístico Diocesano de Manaus que aconteceu no local.

Localizada no alto da área central de Manaus,  a Praça do Congresso possui,  em  seu entorno,  construções  significativas  de  uma  época,  sendo  as  principais: o Instituto  Benjamin  Constant,  a  Avenida  Eduardo  Ribeiro  e  o  Instituto  de  Educação  do Amazonas, principalmente este último, possuindo uma forte  relação com a praça.

Endereço: Rua Mousenhor Coutinho – Centro

 


 

Praça Dom Pedro II

 

Foto: Ingrid Anne/Manauscult

 

Consta na primeira planta de Manaus, traçada em 1852, o local da atual Praça D. Pedro II, que se chamava na época Largo do Pelourinho. É seguramente a área mais antiga da capital amazonense. Próximo à praça ficava a fortaleza de São José do Rio Negro e a capela de Nossa Senhora da Conceição, que deram origem a Manaus.

Até o começo do século XX, a praça D. Pedro II era a mais importante da cidade, ocupando lugar de destaque na geografia urbana.

Com a Proclamação da República, no governo Eduardo Ribeiro, passou a chamar-se Praça da República. Porém, como sempre foi conhecida como D. Pedro II, foi mantida sua primeira nomenclatura até nossos dias.

Além de bancos e jardins, a praça possui um belíssimo coreto da Belle Époque e um chafariz de ferro fundido e bronze em harmonia com árvores centenárias, pedras portuguesas no calçamento e lindos lampiões antigos.

Há registros que em seu subsolo exista um cemitério indígena com mais de mil anos. O assunto já foi manchete nos jornais de Manaus e é, certamente, um valioso patrimônio do povo manauara.

Endereço: Entre a Rua Bernardo Ramos e Av. Sete de Setembro, s/n – Centro