22º Festival Amazonas de Ópera começa nesta sexta

Foto: Michael Dantas/SEC ENSAIO-FILARMÔNICA-1024x683

O 22º Festival Amazonas de Ópera (FAO) começa na próxima sexta-feira, 26/4, às 20h, com a apresentação de “Ernani”, de Giuseppe Verdi, no Teatro Amazonas. Em 2019, o evento celebra o centenário do maestro e compositor amazonense Claudio Santoro e conta com programação nos teatros Amazonas e da Instalação, nos centros culturais Palácio Rio Negro e Palácio da Justiça e em shoppings, hospitais e escolas de Manaus, além de chegar ao interior.

A programação do 22º FAO segue até 30 de maio, e é realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio master do Bradesco, através da Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura.

O secretário estadual de Cultura, Marcos Apolo Muniz, diz que a expectativa, este ano, é para a consolidação do evento como referência em economia criativa. “É um espetáculo grandioso, um projeto ímpar no País, com enorme poder transformador, não apenas no aspecto cultural, mas de incentivo e de capacitação artística, e de geração de renda”, pontua.

Ópera de estreia

“Ernani” é baseada na obra de Victor Hugo, e conta a dramática história de amor de Ernani e Elvira. A ópera apresentada em forma de concerto, em quatro partes, com o Coral do Amazonas e Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica, sob regência do maestro Luiz Fernando Malheiro.

Protagonista da ópera, o tenor chileno Enrique Bravo, radicado em Manaus desde 2000, considera um desafio interpretar o personagem. “Ernani é um grande desafio, bel canto, interpretação difícil, agudos poderosos e extensão do papel. Soma-se a isso a execução, que será em formato de concerto, e que, ao contrário do que parece, torna as coisas mais difíceis, uma ópera no limite da capacidade humana”, comenta.

Elenco

Com três horas de duração e um intervalo de 30 minutos, “Ernani” conta no elenco, além de Enrique Bravo, com a mexicana Maria Katzarava (soprano), como Elvira; e os brasileiros Luiz-Ottavio Faria (baixo), como Don Ruy Gomes de Silva; Rodolfo Giugliani (barítono), como Don Carlo; Thalita Azevedo (mezzo-soprano), como Giovanna; Miquéias William (tenor), como Don Riccardo; e Emanuel Conde (baixo), como Jago.

Diretor artístico do FAO, o maestro Luiz Fernando Malheiro ressalta a importância de ter uma obra de Verdi no festival. “Verdi foi um dos compositores mais importantes de ópera, se não o mais importante. Uma pesquisa afirma que nos teatros de língua alemã – que envolve a Alemanha, a Suíça, a Áustria – ele é o compositor mais tocado em todos os tempos”, comenta. “Realmente, muito importante e a gente ainda tem feito pouco Verdi no Brasil”, observa.

Apresentações no Teatro Amazonas

Além de “Ernani”, estão na programação de apresentações no Teatro Amazonas as óperas “Alma”, de Claudio Santoro; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; “Tosca”, de Giacomo Puccini; e o laboratório de ópera barroca “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi.

Recital Bradesco

A programação do 22º FAO contará também com o Recital Bradesco “Claudio Santoro – Canções de amor”, que será apresentado no dia 27 de maio, às 20h, no Teatro da Instalação, com repertório composto por canções de Claudio Santoro executadas pela Orquestra de Câmara do Amazonas, sob regência de Marcelo de Jesus.

‘Ópera Mirim’

O projeto apresentará “L’enfant et les Sortilèges” (“O Menino e os Sortilégios”), de Maurice Ravel, em teatro de marionetes, feito pelos artistas do Pequeno Teatro do Mundo. É a história de um menino, que, com a ajuda de objetos encantados, encontra uma forma de viver mais generosa. Haverá apresentações no hall do Teatro Amazonas, escolas, hospitais e nos municípios Santa Isabel do Rio Negro e Benjamin Constant.

Economia Criativa

No encontro “Os Teatros de Ópera e a Economia Criativa na América Latina”, que acontecerá no Centro Cultural Palácio da Justiça, no dia 26 de maio, como parte da programação do FAO, serão apresentados dados e casos de sucesso sobre a Indústria da Ópera na América Latina.

O evento terá participação do secretário estadual de Cultura, Marcos Apolo Muniz; do secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Medeiros Pires; do secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão; do secretário de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, Ruan Lira; do maestro e diretor artístico do FAO e diretor musical do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Malheiro; da diretora executiva da Ópera Latinoamérica (Ola), Alejandra Martí; da chefe da Divisão de Assuntos Culturais, Solidariedade e Criatividade do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Trinidad Zaldivar; da diretora executiva do FAO, Flávia Furtado; do presidente da Academia Brasileira de Música, João Guilherme Ripper; e do diretor executivo da Ópera da Colômbia, René Coronado.

Dia das Mães

“Amor Popular Brasileiro: Temas de amor na MPB” é o nome do concerto em homenagem ao Dia das Mães, que será apresentado no dia 12 de maio, às 11h, no Teatro da Instalação, também como parte da programação do FAO. Será com a Orquestra de Violões do Amazonas (Ovam) e Coral Infanto-juvenil do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

Mulheres da Ópera

Em quatro apresentações (Centro Cultural Palácio Rio Negro, Shopping Ponta Negra, Fundação Cecon e Fundação Doutor Thomas), cantoras dos Corpos Artísticos da Secretaria de Estado de Cultura vão interpretar trechos de óperas que retratam grandes personagens femininos.

Programação acadêmica

A programação acadêmica do FAO conta com os projetos “Vivências de Regência de Ópera” e “Descobrindo talentos na produção cultural”. O primeiro tem como objetivo dar aos alunos do curso de Regência da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) a oportunidade de vivenciar o dia a dia de um regente e o contato com a profissão de forma prática. Os participantes acompanham, de segunda a sábado, os ensaios da Amazonas Filarmônica e da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica para o Festival de Ópera, sob supervisão dos maestros Luiz Fernando Malheiro, Marcelo de Jesus e Otávio Simões.

Já no “Descobrindo talentos na produção cultural”, estudantes do Ensino Médio (selecionados por inscrição) têm acesso aos bastidores do FAO para produzir e alimentar um blog, revelando assim novos talentos e novas visões sobre a produção cultural amazonense.

Serviço

O quê: Abertura do 22º Festival Amazonas de Ópera
Quando: 26/4 (sexta), às 20h
Onde: Teatro Amazonas – Avenida Eduardo Ribeiro, 659, Centro
Quanto: Ingressos com valores de R$ 2,50 a R$ 60, à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e no site
Classificação indicativa: Livre


Com informações de assessoria (via SEC)

X