Teatro Amazonas entre as casas de ópera mais bonitas do mundo

Foto: Ingrid Anne/Manauscult Teatro Amazonas - Platéia e Frisas - Ingrid Anne (17)

O Teatro Amazonas foi listado pelo site da revista “Vogue”, uma das publicações de moda mais importantes do mundo, como uma das 15 casas de ópera mais bonitas do planeta, ao lado de lugares como Opéra Garnier, em Paris, L’Opéra de Sydney e Teatro alla Scala, em Milão. A matéria completa com o ranking na íntegra você encontra aqui (em inglês).

Inaugurado em 1896 e localizado no Centro de Manaus, o Teatro Amazonas foi tombado como Patrimônio Histórico Nacional em 1966. Com capacidade para 701 pessoas no salão de espetáculos, o espaço administrado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC) preserva parte da arquitetura e decoração originais.

A maior parte do material usado na construção do local foi importada da Europa: as paredes de aço de Glasgow, na Escócia; os 198 lustres e o mármore de Carrara das escadas, estátuas e colunas são da Itália.

Museu

A mais importante casa de espetáculos do Amazonas tem, ainda, um museu com peças que ajudam a contar sua história. A visita guiada pelo Teatro acontece de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 9h às 14h. A entrada custa R$ 20 (R$ 10 a meia) e amazonenses não pagam, mediante apresentação de documento comprobatório.

“Esse patrimônio é um orgulho para os amazonenses e figurar em uma seleção feita por uma publicação conceituada como a ‘Vogue’ confirma o sentimento de todos os que conhecem o Teatro Amazonas, pois não há quem não se encante”, destacou o secretário estadual de Cultura, Marcos Apolo Muniz.

Ele acrescentou que, para quem ainda não conhece o local, o Festival Amazonas de Ópera, que inicia no próximo dia 26, é uma excelente oportunidade. “Assistir a espetáculos de qualidade internacional, em um dos teatros mais bonitos do mundo, é uma experiência ímpar”, completou.

Os ingressos para o Festival estão à venda no site e variam de R$ 2,50 (meia) a R$ 60, dependendo do lugar escolhido.

Celebrando o centenário do maestro e compositor amazonense Claudio Santoro, o evento terá na programação a ópera em concerto “Ernani”, de Giuseppe Verdi; “Tosca”, de Giacomo Puccini; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; o Laboratório de Ópera Barroca com “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi, e “Alma”, de Santoro.


Com informações de assessoria (via SEC)

X