Intervenção em viaduto traz reflexão sobre beleza e diversidade

Foto: Divulgação/Olhar Que Te Olha

Pela primeira vez em Manaus, uma intervenção artística ao ar livre traz fotografias de pessoas anônimas para gerar reflexão sobre beleza e diversidade. A exposição “Olhar que te olha”, da fotógrafa Dani Cruz, será inaugurada no dia 16/06, às 16h, no Viaduto Miguel Arraes, esquina da Av. Darcy Vargas, que dá acesso à Rua Maceió. O evento será aberto ao público e contará com a exibição de um documentário sobre o processo de construção da exposição.

A intervenção ficará durante um mês em exposição no viaduto e também contará com painel interativo, na área com gramado, onde as pessoas poderão escrever e interagir com a obra. A intervenção é um dos projetos contemplados no Edital de Conexões Culturais de 2017, da Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

De acordo com fotógrafa, a produção foi uma realização pessoal que começou em 2016. “A ideia da exposição veio depois de um convite de uma amiga que vinha lançar um livro infantil no Brasil, que falava de diversidade na infância. Então, decidi abranger e fotografar várias pessoas para assim decifrar as histórias através do olhar de cada um”, explica Dani Cruz.

A exposição também conta com a produção de um documentário em que os fotografados revelam seus medos, sonhos, alegrias e julgamentos que receberam ao longo da vida. “Eu espero que, com a exibição do documentário, as pessoas possam refletir melhor sobre o pré-julgamento que tendemos a fazer todas as vezes que vemos alguma pessoa com uma aparência diferente da nossa”, disse a fotógrafa.

O documentário será exibido em rodas de conversa, universidades e escolas, para estudantes e artistas, em sessões nas quais a fotógrafa falará sobre todo processo de produção da exposição, desde a formulação do projeto para o edital à abordagem das pessoas na rua para fotografá-las.

Histórias reais

São mais de 2 milhões de habitantes na capital do Amazonas, e podemos encontrar em Manaus diversos fenótipos, histórias tristes, felizes, engraçadas, mas todas reais. Retratar a vida de cada pessoa por meio de um olhar foi um desafio constante no processo de construção da exposição de Dani Cruz.

“Às vezes, não conseguimos compreender o ‘outro’ através do olhar, muitas vezes porque estamos julgando a pessoa pelo que veste, usa ou ouve, e com isso esquecemos totalmente que do outro lado está um ser humano que ri, chora, acerta e erra que nem todos nós”, reflete Dani.

As histórias mais marcantes para a fotógrafa estarão disponíveis no Instagram da exposição @olharqueteolha.“Lá vou disponibilizar trechos das conversas que fiz para o documentário, fotos e os relatos mais sinceros das pessoas que participaram”, revela.

Sobre a fotógrafa

A fotógrafa Dani Cruz, nascida e residente na cidade de Manaus, vem fotografando profissionalmente há dez anos, vivendo exclusivamente do seu trabalho. Conhecida na cidade por fotografar mulheres grávidas e seus bebês desde os cinco dias de vida até à velhice, ela vem desenvolvendo trabalhos autorais, na sua grande maioria retratando pessoas interagindo com os ambientes, há alguns anos.

Ao longo destes anos, a fotógrafa já entregou mais de mil álbuns impressos para clientes nacionais e internacionais, fez várias capas de revistas e realizou exposições individuais e participou de algumas exposições coletivas.


Com informações de assessoria

X