Manaus Hot City - Rafael Ramos
Manaus Hot City - Rafael Ramos

Conhecido na cena audiovisual amazonense por projetos como “Aquela Estrada” e “A Menina do Guarda-Chuva”, o diretor Rafael Ramos lançou esta semana uma campanha de financiamento coletivo para seu novo curta-metragem, “Manaus Hot City”, previsto para ser lançado em 2020.

A meta é arrecadar R$ 11.752 para a produção do filme, incluindo gastos como ensaios, transporte, alimentação, equipamentos, entre outros. Os interessados podem contribuir com valores de R$ 20, 50, 100 ou até 300. A colaboração pode ser feita por meio da página do projeto no Catarse, onde também estão descritas as recompensas previstas para quem contribuir.

“Manaus Hot City” é um curta-metragem, com duração de 15 minutos, que vai abordar a amizade entre três amigos e como esta é afetada por uma descoberta transformadora. O filme traz a cidade de Manaus na condição simultânea de plano de fundo e protagonista, ao explorar seus aspectos e investigar as formas como a metrópole ecoa nas relações entre as pessoas.

Segundo a produção do projeto, a cidade, para além dos elementos óbvios da paisagem urbana e seus contrastes sociais, é feita, sobretudo, das interações entre as pessoas. Infelizmente, isso passa muitas vezes despercebido, ou tem a importância subestimada. Por isso, o filme busca tratar da vida do jovem caboclo urbano, do manauara que trabalha, sua, vivencia, descobre, experimenta, e que é invisibilizado diante dos estereótipos surgidos do alheamento do resto do país.

Ao ter o jovem nortista retratado e com voz através de um projeto como “Manaus Hot City”, contribui-se para desmontar todos esses clichês. O objetivo é mostrar a diversidade de pensamentos, posturas e vivências que existem além do imaginário da floresta, do indígena, do exótico e outros símbolos desgastados pelo senso comum.

Sobre o diretor

Rafael Ramos é formado em Cinema pela Academia Internacional de Cinema de São Paulo (AIC) e atua como diretor e roteirista. Já dirigiu outros curtas-metragens, como “A menina do guarda-chuva” (2014), “Aquela estrada” (2016) e “Formas de voltar para casa” (2017). Participou de festivais nacionais e internacionais, como a Mostra Internacional de Curtas de São Paulo, Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro, Toronto Queer Film Festival e San Diego Latino Film Festival. Dirigiu o videoclipe “Lulu”, da banda Luneta Mágica, citado em alguns sites especializados como um dos melhores clipes de 2015. Em 2017, dirigiu a série “Boto”, contemplada no Edital de Arranjos Regionais.


Equipe Viva Manaus (com informações de assessoria