Dona Onete
Dona Onete

Duas novidades marcam a programação cultural da Virada Sustentável Manaus neste ano. Pela primeira vez, em cinco anos consecutivos, a abertura sairá do Teatro Amazonas para o Largo São Sebastião, com a apresentação da Amazonas Jazz Band. A edição marca também a primeira atração nacional do festival, que recebe a cantora paraense Dona Onete.

Realizada de sexta, 26, a domingo, 28/7, a Virada Sustentável Manaus é considerada o maior festival de sustentabilidade da América Latina. Serão três dias com mais de 160 atividades gratuitas em diferentes zonas da capital. Com sua concepção temática baseada nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), a programação inclui ainda ações relacionadas ao meio ambiente, serviços e promoção social.

“Vamos alcançar todas as zonas da cidade, principalmente os espaços com grande circulação de pessoas, levando cultura, conscientização e lazer para a população de forma dinâmica, divertida e totalmente gratuita”, explica a coordenadora da mobilização, Paula Gabriel.

Para ampliar o acesso ao público, a abertura realizada nesta quinta-feira, 25, às 20h, será ao ar livre, no Largo São Sebastião, Centro de Manaus. Uma megaestrutura será montada para a apresentação da Amazonas Jazz Band.

Dona Onete

O local também será palco da diva do carimbó “chamegado”, Dona Onete, que se apresenta gratuitamente neste sábado, 27, às 20h. A cantora e compositora fará o lançamento do terceiro álbum da carreira dela, chamado “Rebujo”. Com 11 músicas, o disco reforça os discursos que exaltam as belezas amazônicas, a explosão de cores e sabores paraenses e o amor com seus encantos e desencantos. Por isso, e não à toa, o novo trabalho é batizado de rebujo. A palavra significa movimento da maré, uma correnteza que vem do fundo do rio, trazendo tudo aquilo que está escondido. Para Dona Onete, ele renova a vida com alegria e sedução. E, se algo der errado, ela sentencia: “Se você não é feliz, felicidade a gente inventa” (trecho da música “Festa do Tubarão”).

Nessa energia, com quase 80 anos, Ionete da Silveira Gama promete para o público amazonense uma apresentação do jeitinho “chamegado” que só ela sabe cantar e encantar. Claro, bem acompanhada por sua banda, formada pelo pesquisador e produtor Pio Lobato, JP Cavalcante nas percussões amazônicas, Breno Oliveira no baixo, Vovô na Bateria e Marcos Sarrazin nos teclados e sopros. “Rebujo” é um dos projetos selecionados pelo Natura Musical, por meio do edital 2018, com o apoio da Lei Semear.

Shows

O Largo São Sebastião será palco também de outros shows gratuitos. Na sexta, 26, a banda NTG abre a noite da Virada Sustentável Manaus, às 19h, seguida da Will Rock Band, às 20h, e encerra com Marcello Ipanema & o Izuomê, às 21h.

No sábado, 27, a cantora Márcia Novo abre a programação musical, às 18h, com um passeio pelos gêneros e influências que são parte da identidade musical do Amazonas, expressada como um mix caribenho, brega pop e tribal. Na sequência, às 19h, a banda Alaídenegão esquenta o público antes do show de Dona Odete, às 20h.

A programação musical da Virada Sustentável Manaus no Largo finalizará no domingo, 28, com apresentações mais cedo, a partir das 13h, com os sets do DJ Makka. Ele, que é venezuelano, traz para cidade a primeira edição do “Manaus Room – Sensitive Experiences”, show no conceito Boiler Room – estilo criado em Londres, onde DJs tocam ao vivo com transmissão pela internet.

Às 19h, a banda Mady e Seus Namorados coloca o público para dançar ao som de lambada. O hip hop dos Manauaras em Extinção terá início às 20h. O encerramento será ao som regional experimental do grupo Os Tucumanus. Outros espaços terão espetáculos musicais gratuitos, como Monte das Oliveiras, Redenção, Bosque da Ciência e Shopping Manaus Via Norte.

A programação completa está disponível no site oficial.

Programação para todos os gostos

Exposições artísticas e fotográficas, performances, intervenções de grafite, espetáculos de dança, circo e teatro também estão na programação no Largo São Sebastião e em outros espaços públicos, como Bosque da Ciência, Biblioteca Pública do Amazonas, Casa das Artes, Centro de Medicina Indígena, Bairro Colônia Antonio Aleixo, Escola Estadual Professora Myrthes Marques Trigueiro, Feira do São José, Flutuante Abaré, Marina do Davi, Bairro Monte das Oliveiras, Museu da Amazônia (MUSA), Parque Sumaúma, Parque do Mindu, Praça da Polícia, Praça da Matriz, Praia da Ponta Negra, Reusa – Rip Rap da Redenção, Shopping Manaus Via Norte e terminais de ônibus 4 e 5.

Além das atividades culturais, estes locais terão oficinas, rodas de conversas, doação de mudas, limpeza de igarapés e outras ações relacionadas à questões como igualdade de gênero, saúde e bem-estar, consumo e produção responsáveis, educação de qualidade, redução das desigualdades, cidades e comunidades sustentáveis e erradicação da pobreza. Todos esses pontos correspondem aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Acessibilidade

Para garantir a inclusão do público com deficiência auditiva, a Virada Sustentável Manaus terá a presença de tradutores e intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) cobrindo atividades como shows, rodas de conversa, contação de histórias e espetáculos teatrais que acontecerão no Largo São Sebastião, no terminal 5 e no Parque Sumaúma.

Virada

Com mais de 300 voluntários, a quinta edição da Virada Sustentável Manaus tem patrocínio, via Lei de Incentivo à Cultura, da Uber Eats, Bemol e CMPC, copatrocínio da Liberty Seguros e parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Além disso, possui colaboração da Whirlpool, Honda, Votorantim, Grupo Martins/IAMAR, World Animal Protection, Instituto Sabin, Shopping Manaus Via Norte, ARMOR Brasil, Local Hostel Manaus, Local Hostel Figueiredo, Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMMAS), Agência Oto e Up Comunicação Inteligente.

É uma correalização do Instituto Virada Sustentável e Fundação Amazonas Sustentável (FAS), e realização da Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Pátria Amada Brasil Governo Federal.


Com informações de assessoria