Futparódias no "Passinho", último dia do Festival Passo a Paço 2019 - Foto: Leonardo Leão/Manauscult

Presente pela primeira vez na cobertura do Festival Passo a Paço, nosso estagiário de Jornalismo Tiago Souza montou seu diário de bordo com impressões pessoais sobre o evento. Você pode conferir aqui as partes 1, 2 e 3 dessa série de crônicas sobre o Passo a Paço 2019 😉


Olá, este é o último dia deste diário de bordo. Nestes quatro dias, pude relatar minhas percepções, observações e detalhes do nosso querido e glorioso festival que, no terceiro dia, juntou no perímetro do Paço, 77 (sim, 77) mil pessoas.

Bom, neste quarto dia, a proposta do festival foi toda dedicada ao público infanto-juvenil. Uma novidade que, penso eu, incrível para agregar ainda mais à concepção do Passo a Paço.

Entre as atrações, os três representantes amazonenses que participaram do reality show The Voice: Marcella Bártholo, Lorenzo Fortes e Raylla Araújo. Além deles, equipes de k-pop participaram de uma disputa no Palco Arena, sob o comando dos Gandhicats, e atrações nacionais como o Barbatuques (que possui um trabalho autoral que mescla os sons do corpo e da voz) e o Futparódias, o qual o amado estagiário adora as produções humorísticas que, olhem só, envolvem futebol.

Desde 15h, horário que cheguei, famílias inteiras já estavam por aqui. E é interessante de se admirar o olhar, sempre curioso, dos curumins.

Além dessa abelhudice do bem, quem detém uma visão um pouco fora do superficial, percebe-se que esta interação te remete à nostalgia.

Sim! Lembro-me de minha época infanto-juvenil, em que assistia desenhos, brincava na rua (uma vez quase destruí uma banquinha de pastel com uma bola, sem querer) e era tecnologia quase zero, saca?

Não que tecnologia e a evolução sejam ruins, muito pelo contrário. É só um remember que rolou aqui enquanto a Banda Di Bubuia tocava clássicos no palco coreto! 

Banda Di Bubuia no Coreto do Passinho, no Festival Passo a Paço 2019 – Foto: Daiana Melo/Manauscult

Iniciativas como o Passo a Paço resgatam momentos como esse, essa alegria da diversão nas ruas.

Falando em alegria, eu preciso admitir como o k-pop tem coreografias e performances incríveis!

Certa vez, uma amiga – que não identificarei – me indicou uma canção do k-pop: Oh MyDelilah – MAMAMOO. Gostei, não minto. Por isso, e por muitos motivos mais, respeito e admiro pacas os grupos de k-pop (e por também ter quase zero de coordenação motora – haha).

Grupos de k-pop “batalham” no Festival Passo a Paço 2019 – Foto: Leonardo Leão/Manauscult

Outro ponto que quero destacar e, por vezes, passa batido a todos nós: a equipe de produção e segurança.

Sim, sim. São pessoas tão importantes quanto os cantores que você prestigia aqui no Passo a Paço, que chegam horas e horas antes e saem horas e horas depois do término oficial.

Recebemos muitos elogios por conta da organização do festival. E se eu pudesse ser o porta-voz desta equipe, diria que tudo o que é feito demanda muito suor, esforço, sacrifício, mas no fim, a congratulação.

Falando em esforço: que tal eu te descrever os detalhes da TV Passo a Paço?

Com transmissão no Facebook e Youtube, a nossa TV mostrou por, pelo menos duas horas diárias, tudo o que ocorria aqui: shows, bastidores, atrações gastronômicas, interação com o público…

E para isso, um baita aparato: três câmeras, cinco computadores, dez profissionais, repórteres, editores e, é claro, os pimposos apresentadores: a multicolorida Vivi Cariolano, e o diretor de Cultura da Manauscult e enciclopédia humana, Márcio Braz.

TV Passo a Paço

Posted by Viva Manaus on Sunday, September 8, 2019

Para você ter uma ideia, o estúdio ocupou quase que metade da base da comunicação. Ah, vale um registro: nós, por razões contratuais (o famoso cumpra-se) não poderíamos transmitir os shows completos, apenas flashes de cinco minutos, por quatro vezes. Mas isso não impediu que, com criatividade, conseguíssemos dar a sensação, o gostinho de transmitir, pela Internet, o festival para quem não pode ir.

Em síntese, adoraria que você lesse e repassasse estes relatos (para 10 pessoas e estas repassem a mais 10 e segue, rs). Não é corrente, mas sinto-me honrado de ter ajudado a contar um pouquinho o lado B desta história.

Nota

Ah, só pra compartilhar mesmo: uma das técnicas que usei para não perder os relatos que queria pegar era a de gravar tudo, até meu pensamento, como se fosse um diário mesmo. Ou seja, botei um fone de ouvido, para captar melhor o áudio, de forma direcionada, afinal, estávamos em meio a um mega festival, abri o gravador e fui-me embora.

Por vezes, dava a impressão que estava falando sozinho. Mas espero que tenham gostado!

Quem

Quando fui designado para escrever sobre o Passo a Paço, pensei: meu Deus, que desafio louco!

Mas é um desafio prazeroso, não minto.

Eu sou o Tiago Souza, tenho 23 anos, estou no último período de Jornalismo e sou estagiário da Assessoria de Comunicação e Marketing da Fundação Municipal de Cultura Turismo e Eventos, a gloriosa Manauscult, desde maio.

Então, sabe aquelas fotos incríveis e textos maravilhosos que você lê? Pois é, faço parte desta equipe. E hoje, posso dizer que: vendo de perto tudo o que move este festival, as emoções e o esforço envolvido, percebo que bom que pude viver essa experiência.

Tiago Souza
Equipe Viva Manaus