Filme "Da Curva Pra Cá" (ES, 2018) - Foto: Divulgação

Nesta quinta e sexta, 28 e 29/11, o Sesc AM promove a 3ª Mostra Sesc de Cinema, no Teatro Gebes Medeiros, localizado na Av. Eduardo Ribeiro, 937, Centro. A entrada é gratuita. Ao todo, serão exibidos 13 curtas-metragens, com a mediação do crítico, colunista e colaborador do site Cine Set Ivanildo Pereira.

A Mostra Sesc de Cinema tem como objetivo promover a difusão do circuito cinematográfico brasileiro, sendo uma iniciativa de valorização da produção audiovisual no país. Lançada em 2017, conta com representantes de todas as regiões, procurando ampliar o acesso da população a uma filmografia que expresse a diversidade da produção contemporânea.

Mais informações podem ser obtidas no site do Sesc AM ou pelo telefone (92) 3198-2000.

Confira, abaixo, a programação completa da 3ª Mostra Sesc de Cinema:

28/11 – PANORAMA BRASIL – Das 18h30 às 21h

DO OUTRO LADO (SP) – 14 min., curta-metragem, ficção, 2018
Sinopse: Às vésperas de uma importante decisão, a juíza da Corte Suprema de Taiwan recebe uma carta inesperada.

AURORA (SE) – 15 min, curta-metragem, documentário, 2017
Sinopse: No palco de um teatro destruído, assistimos a uma peça teatral em que Elizabeth, Mercedes e Crisalida, três mulheres negras em diferentes etapas da vida, revivem tudo o que sofreram com a interpretação de seus próprios conflitos na forma de monólogos interiores.

ALMOFADA DE PENAS (SC) – 12 min, curta-metragem, ficção, 2018
Sinopse: Logo após sua lua de mel, Alicia contrai uma doença inexplicável, enquanto seu marido Jordão presencia tudo de modo indiferente. Algo oculto a está enlouquecendo. A doença faz a jovem mulher mesclar a realidade com alucinações monstruosas.

ISSO ME FAZ PENSAR (RS) – 25 min, curta-metragem, documentário, 2018
Sinopse: “Isso me faz pensar” apresenta a realidade de jovens da periferia de Porto Alegre que vivem a cultura hip hop, enquanto enfrentam cotidianamente situações de preconceito, escassez e violência. Do raro protagonismo feminino em um ambiente dominado pelos homens às dificuldades em manter o trabalho com a música, a dança ou a poesia. Batalhas de slam, feiras livres, oficinas em escolas, marchas e shows acabam sendo para estes batalhadores um ato de resistência.

PARDA (RJ) – 29 min, curta-metragem, ficção, 2019
Sinopse: Um regime autoritário planeja restaurar a supremacia branca no Brasil. Sua primeira medida é exigir a volta ao país de todos os brasileiros brancos vivendo no exterior. Em meio ao caos político, Tai precisa provar que não é branca, mas se depara com a própria incerteza sobre sua identidade racial. O filme desbrava o território ambíguo do conceito de raça no Brasil, seguindo rastros deixados pelo passado colonial e pela história familiar da diretora. Uma viagem exploratória entre a ficção e o documental.

CATADORA DE GENTE (RS) – 18 min, curta-metragem, documentário, 2018
Sinopse: “Catadora de gente” é Maria Tugira Cardoso. Há 30 anos, a personagem do filme dedica sua vida à catação de lixo. Com sua fala lúcida a respeito da vida e de suas complexidades, Tugira narra sua história e propõe ao espectador uma reflexão profunda sobre as desigualdades sociais do Brasil.

29/11 – PANORAMA BRASIL, NORTE E AMAZONAS – Das 18h30 às 21h

DA CURVA PRA CÁ (ES) – 19 min, curta-metragem, ficção, 2018
Sinopse: Dizem que, quando você está sonhando, a única forma de descobrir se é um sonho é acender a luz.

GUARÁ (GO) – 21 min, curta-metragem, ficção, 2019
Sinopse: O cerrado habita lobos-guarás e bandeirantes.

CHAMANDO OS VENTOS: POR UMA CARTOGRAFIA DOS ASSOBIOS (PA) – 14 min, curta-metragem, documentário, 2018
Sinopse: Documentário sobre a ação imaginária de chamar os ventos por meio de assobios, uma dinâmica que envolve entretenimento, ancestralidade, afetividade e memória.

ZANA – FILHO DA MATA (AM) – 15 min, curta-metragem, ficção
Sinopse: “No coração da selva amazônica, um pequeno índio terá que enfrentar misteriosos personagens de mitos e lendas, em uma missão de resgate nada convencional”. Contando as aventuras de um pequeno índio em uma missão de resgate contra vilões míticos, inspirados em famosos personagens de histórias ribeirinhas amazônicas, como o velho do saco e o Curupira.

NO RIO DAS BORBOLETAS (AM) – 21 min, curta-metragem, ficção, 2017
Sinopse: Uma escolha, uma consequência. Quando duas irmãs ficam em um impasse se vão ou não em busca de ajuda para a mãe enferma, a decisão muda para sempre o destino das quatro mulheres. Erasmia e Doriana, as duas capazes de decidir. Kallima, irmã mais nova, é autista e vive em um mundo à parte, e Rosa, impotente, só aceita a decisão de embarcarem em uma canoa em busca de ajuda.

PRÍNCIPE DA ENCANTARIA (AM) – 21 min, curta-metragem, ficção, 2018
Sinopse: Às margens do Rio Negro, a imaginação de Aninha cria asas enquanto Vó Esmeralda conta-lhe a estória de Benito, o boto cor de rosa.

O CÉU DOS ÍNDIOS DESÂNA E TUIUCA (AM) – 26 min, curta-metragem, documentário
Sinopse: O documentário de média-metragem dos diretores Flávia Abtibol e Chicco Moreira empreende uma verdadeira aventura por rios amazônicos para tentar desvendar os vestígios de um saber pouco conhecido pelos brasileiros: a astronomia indígena produzida por duas etnias amazônicas. Os Desâna e Tuiuca dominam o conhecimento do céu como saber complementar às suas vidas na terra. Este olhar peculiar estabelece uma relação de cumplicidade entre a terra e o céu que a cultura ocidental tem dificuldades em firmar.

Com informações de assessoria