Apresentadores do podcast Tucupi Late Show - Foto: Caio de Biasi/Divulgação

Os desafios vividos pelos artistas teatrais de Manaus em 2020 por conta da pandemia da Covid-19 são o tema das entrevistas do podcast “Tucupi Late Show”, série em três episódios lançada no último dia 21/12. Idealizado pelos radialistas e produtores Marlon Pontes e Lucas Anselmo, o projeto conta com o apoio do Governo Federal e da Prefeitura de Manaus, por meio do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais – Lei Aldir Blanc.

Entre os entrevistados, estão as companhias Menina Miúdas Produções, Espatódea Trupe e Panorando Cia. e Produtora, todas reconhecidas na capital amazonense por suas produções teatrais, desde espetáculos a oficinas e festivais. Além de conversar sobre os desafios que aconteceram por conta da pandemia, as companhias falaram sobre suas origens, produções, curiosidades de bastidores, projetos contemplados em editais e as metas para o ano de 2021.

Além das entrevistas, o podcast também compartilha nos intervalos de cada programa videoclipes de artistas locais, como forma de valorizar a cena musical da cidade. Entre os artistas selecionados, estão nomes como Yago Reis, Filipe Shimizu (banda Doral Music), Jéssica Stephens, Elias Moreira, Evellyn Jéssica (banda Ev5) e Gabriel Joia (Joiaa).

Os programas na íntegra já estão disponíveis nas redes sociais do Tucupi Late Show (Instagram, Facebook e YouTube), e os áudios das entrevistas também podem ser escutados pelo Spotify, Deezer e Google Podcasts.

Tucupi Late Show

O programa piloto do podcast foi criado em fevereiro de 2020, e surgiu com o intuito de trabalhar entretenimento e humor e divulgar conteúdos da arte e suas linguagens, cultura, tecnologia, curiosidades e empreendedores de Manaus. O projeto tem como inspiração talk shows e podcasts em que os entrevistados falam sobre suas carreiras e produções de forma descontraída.

“Nosso objetivo é fazer com que nossos ouvintes possam valorizar e respeitar a própria cultura local. Queremos ser um espaço de valorização das pessoas que constroem a identidade do manauara”, afirmou o idealizador Marlon Pontes, que é também ator, diretor e professor de Teatro formado pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

“Fazer um registro audiovisual com companhias de teatro da nossa cidade é extremamente importante para que possamos compreender e difundir as dificuldades que os artistas locais enfrentam diariamente, e agora de uma forma mais vertical, por conta da pandemia”, completou.

Equipe Viva Manaus (com informações de assessoria)