Prefeitura recebe embaixador da Irlanda no Brasil, no Museu da Cidade de Manaus

A Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), recebeu, na manhã desta segunda-feira, 29/11, no Museu da Cidade de Manaus (Muma), no Centro Histórico, a visita do embaixador da Irlanda no Brasil, Seán Hoy.

 

O embaixador foi recepcionado pelo diretor-presidente da Manauscult, Alonso Oliveira, e pelo diretor do Museu da Cidade de Manaus, Leonardo Novellino, e fez a doação de um quadro com o retrato do cônsul britânico Roger Casement (1867-1916), poeta, revolucionário e nacionalista de origem irlandesa, ilustrado pelo artista David Rooney no livro “1916 Portraits and Lives”, publicado em 2015 pela Royal Irish Academy. O retrato é o de número 89 de apenas 100 unidades autografadas pelo artista.

 

No ano de 1910, Roger Casement, quando a Amazônia colombiana foi palco de uma série de violações aos direitos humanos, em um caso que acabou ganhando repercussão internacional, denunciou o genocídio indígena, em La Chorrera, na bacia do rio Putumayo, onde mais de 30 mil nativos foram submetidos a um regime de escravidão para manter em funcionamento um dos maiores centros de extração e produção de borracha da época.

 

Depois de quase dois anos fechado por causa da pandemia de Covid-19, o museu reabre de forma gradativa, seguindo todos os protocolos sanitários, a partir do mês de dezembro, e os visitantes do Muma, em breve, poderão apreciar a homenagem ao cônsul em uma exposição.

 

Segundo Alonso Oliveira, a doação da imagem vai despertar a curiosidade dos visitantes do museu e fazer com que conheçam a história de luta de Casement.

 

“A vida extraordinária de Roger Casement continua sendo fonte de inspiração para a criação de obras em prosa, poesia, teatro e ensaios críticos, estamos agradecidos pelo presente. Com a reabertura do museu, os visitantes, em especial, os jovens da nossa cidade, poderão conhecer mais sobre a luta insistente de Casement pelos direitos humanos dos povos indígenas, durante o período de extração da borracha no Brasil” disse o diretor.

 

Na ocasião, o embaixador foi recepcionado com uma exposição de imagens realizadas pelo fotógrafo e cineasta luso-brasileiro Silvino Santos.

 

“Através da sua câmera, Silvino registra os maus-tratos desses povos indígenas, e graças ao Roger Casement, grande humanista, essa situação mudou, agora o museu tem a alegria de ter uma imagem sua aqui conosco, no acervo”, afirmou o diretor do Museu da Cidade de Manaus, Leonardo Novellino.

 

Pela terceira vez na capital amazonense e feliz com a receptividade e com a exposição, o embaixador Seán Hoy contou que a Prefeitura de Manaus e a embaixada da Irlanda trabalharão para futuramente trazer uma exposição, que está em Brasília sobre o trabalho de Roger Casement, para Manaus.

 

“Eu e a minha equipe temos um grande prazer em participar dessa pequena cerimônia que marca a vida e trabalho do cidadão irlandês Roger Casement no Brasil.  Estou honrado em poder desenvolver o relacionamento com uma instituição cultural tão importante, e ficarei imensamente feliz em aprofundar o nosso diálogo sobre as oportunidades para desenvolver ainda mais as relações culturais entre o Brasil e a Irlanda, com a possibilidade de realização de palestras para contar essas histórias que ligam os dois países” explicou.

 

O embaixador falou ainda que a razão pela qual entregaram o quadro é a de que para o povo irlandês, quando pensam em Manaus, lembram de Roger Casement.

 

“Sempre pensei que a embaixada precisava trazer Roger Casement para casa, para Manaus, porque ele foi um dos primeiros humanistas internacionais, que contra toda a vontade do mundo corporativista, lutou pelos povos indígenas. Casement também se tornou um verdadeiro herói da nossa própria história, fez parte da nossa luta pela independência. Os jovens em Manaus gostam da cultura, gostam de celebrar, aprender e explorar. E eu gostaria de ver maneiras de trabalhar com a prefeitura para construir essa parceria. Temos muito mais para aprender com vocês do que vocês conosco, portanto voltaremos logo para aprender mais”, finalizou o embaixador.

 

— — —

Texto – Emanuelle Baires / Manauscult

Fotos – Oliveira Júnior / Manauscult

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHsmXbrVFv