Centro de Arqueologia de Manaus

Centro de Arqueologia de Manaus – Foto: Leonardo Leão/Manauscult

Onde: Antigo prédio da Câmara Municipal de Manaus – Avenida Sete de Setembro, Centro Histórico (em frente ao Les Artistes Café Teatro)
Quando: Visitação de segunda a sexta, das 8h às 14h – Em virtude da Covid-19, o agendamento prévio deve ser feito pelo e-mail [email protected]
Quanto: Entrada gratuita

ATENÇÃO: Entre 28/12/2020 e 11/01/2021, as visitas e agendamento estarão suspensos, por conta do Decreto nº 43.236, de medidas restritivas do Governo do Amazonas contra o avanço da Covid-19 no estado.

Protocolos de segurança:

  1. A visita deverá ser agendada pelo e-mail [email protected];
  2. As visitas podem ser agendadas para ocorrer de segunda a sexta-feira, entre 8h e 14h;
  3. Ao solicitar o agendamento, é necessário informar no corpo do e-mail o nome completo do solicitante, número do documento de identificação oficial (RG, CPF ou passaporte), telefone para contato, data e horário desejados para visita, quantidade de pessoas que farão a visita, cidade e estado de origem dos visitantes, e profissão dos visitantes;
  4. Fique atento ao seu e-mail. O envio do e-mail de solicitação não garante a reserva do horário. O agendamento da sua visita só estará confirmado a partir do recebimento de uma resposta de nossa equipe. As respostas aos pedidos de agendamento serão feitas em até 24 horas úteis;
  5. O visitante deve chegar ao Centro de Arqueologia de Manaus 10 minutos antes do horário agendado;
  6. O uso da máscara de maneira correta e a manutenção do distanciamento social são obrigatórios e deverão ser respeitados durante todo o tempo de permanência do visitante no Centro de Arqueologia;
  7. Leve sua própria garrafa de água. Nossos bebedouros estarão temporariamente indisponíveis;
  8. Por gentileza, cancele o agendamento caso desista da visita. Desta forma, outras pessoas terão a oportunidade de visitar o Centro de Arqueologia de Manaus.

História

Para atender as disposições sobre conservação de bens arqueológicos móveis, a proposta de reabilitação do prédio da antiga Câmara Municipal tem uma sala de triagem, uma reserva técnica e um laboratório, com uma entrada com rampas para atender pessoas com deficiência (PcDs). No bloco de frente para a avenida Sete de Setembro há duas salas para extroversão no lado leste e no lado oeste uma ampla sala para palestras e exibição de conteúdos multimídia, uma sala de estudos, uma para monitoramento de câmeras e um guarda-volumes.

No bloco central de ligação das duas edificações, estão implantados uma loja para venda de suvenires, um café e uma pequena copa, além de banheiros. Parte das paredes das salas de exposição e de palestras deixa exposto o sistema construtivo, de alvenaria em pedras de mão, tipo arenito Manaus. No pátio interno de interligação dos blocos haverá uma área de contemplação. Os ambientes dedicados às exposições contêm duas salas interligadas formando um circuito. O espaço tem ainda sala de estudos, que terá máquinas com acesso à internet, disponíveis para pesquisa e um acervo bibliográfico para consulta.

O prédio conta com laboratórios, além do restauro e da administração do CAM, e um mezanino como extensão à sala de estudos. Ao lado da sala de múltiplos usos destinados a projeções, palestras e diversas atividades culturais, haverá um espaço de transição, que além de abrigar gabinetes de estudo, acervo bibliográfico, abriga um conjunto dedicado a pesquisa e estudo em grupos. No pátio central há tratamento acústico, permitindo atividades expositivas e culturais, bem como extensão dos serviços do café.

Entre os últimos trabalhos realizados na pesquisa arqueológica, feitos durante o restauro, está a ampliação de uma unidade na trincheira do pátio, a fim de evidenciar os remanescentes arqueológicos nesse local e conservá-lo para a exposição pública. Essa é uma unidade expositiva com evidenciação de um vasilhame, que ficará exposto com a técnica da superfície em vidro e tratamento museográfico. A expografia é uma forma de comunicação de museus e centros de cultura, onde é estabelecido o diálogo entre o acervo e o visitante.

Em outra sala de exposição do Centro de Arqueologia, o visitante pode conferir um corte estratigráfico (por camadas) do terreno no interior da edificação histórica, exibindo um trecho do solo e da cultura material, evidenciada durante a intervenção. A empresa Biapó foi vencedora da licitação, que realizou a restauração da antiga sede da Casa Legislativa Municipal. Esse procedimento demonstrou que o subsolo da edificação histórica sofreu alterações durante o tempo. As camadas arqueológicas não estavam o tempo todo depositadas de maneira natural. Em alguns momentos o solo já estava alterado por intervenções anteriores.

Análises comparativas, pesquisas anteriores e a cultura material resgatada na obra potencializaram a importância do chamado “sítio Manaus”. A pesquisa arqueológica revelou ainda fragmentos de cerâmicas pré-históricas de várias tradições de ocupação da Amazônia. O material resgatado e o salvamento arqueológico atestam a diversidade e a pluralidade cultural da ocupação. Manaus foi construída, os vilarejos e afins, em cima de sítios arqueológicos.

Durante os trabalhos, a equipe de arqueologia encontrou escombros originários de outras reformas na edificação e foi em um dos porões obstruídos, abaixo do contrapiso, a mais de 1,10 metros de profundidade, que se revelou os remanescentes arqueológicos, que podem estar relacionados às práticas mortuárias. Os remanescentes coletados apontam para a formação de um sítio arqueológico multicomponencial (que integra domínios de várias ciências), com testemunhos de culturas pré-históricas e europeias.