O calendário fixo de grandes eventos da cidade de Manaus foi uma construção estabelecida desde 2013, que é trabalhada enquanto produto turístico junto aos operadores do segmento por meio do projeto “Manaus: o Brasil que você só encontra aqui”, de forma que a capital do Norte do País tenha, a cada trimestre, um grande atrativo cultural na cidade.

Dessa forma, o início do ano abre com a programação de Carnaval de bandas e blocos de rua, que recebe apoio da Prefeitura de Manaus por meio de edital, organizando um calendário e oportunizando de forma igualitária o acesso a todos que mantém a tradição das comemorações em suas comunidades. Algumas bandas contam com mais de 30 anos de história, reunindo público de 60 mil pessoas no Centro Histórico da cidade.

A realização dos eventos, que somam  em média mais de 35 dias de folia, aliado ao desfile Oficial das Escolas de Samba, que é o terceiro maior do País e também recebe apoio da Prefeitura de Manaus, permitiram que a capital amazonense consolidasse seu Carnaval de Rua com a movimentação de quase 650 mil foliões em 2018, em todas as zonas da cidade, o maior da região Norte do País.

Festival Folclórico do Amazonas - Foto Altemar Alcântara

Com foco no fortalecimento das raízes culturais aliadas à promoção turística, o Festival Folclórico do Amazonas, desde 2017, teve sua concepção reformulada pela Prefeitura de Manaus. Em um passo ousado, porém de visão estratégica, o evento foi levado para o palco do anfiteatro da Ponta Negra, um local icônico para a cultura e o turismo manauara, sendo este um dos mais famosos pontos turísticos municipais, o que possibilitou assim a ressignificação do Festival e o alcance de suas danças.

Desta forma, o Festival mais antigo do Amazonas, que, inclusive, serviu de inspiração para a criação do Festival Folclórico de Parintins, voltou para as margens do rio. Além disso, o tablado passou a ser o palco principal, importante para marcação do ritmo nas apresentações. Para isso, uma estrutura específica foi montada no local.

Durante 12 a 13 dias de atividades, mais de 80 grupos folclóricos das Categorias Prata e Bronze se apresentam para o público, que chega a somar 60 mil pessoas durante o período de realização do evento. Considerando que as tradições folclóricas não são compostas apenas por suas danças, mas também muito representadas por suas comidas típicas, a Manauscult associou o evento à gastronomia, tão significativa e representativa da cultura amazonense e da mistura de migrantes que também contribuíram para a cultura popular que temos hoje.

Além disso, a Manauscult é responsável pelo apoio à realização de aproximadamente 150 eventos, entre festivais, arraiais, quermesses e outras festividades dentro do período folclórico nos bairros de Manaus, em todas as zonas da cidade. A seleção é feita por meio de Edital de Chamada Pública, que fornece apoio estrutural às festas com palco, som, iluminação e banheiros químicos.

Passo a Paço 2018 - Plataforma Malcher - Foto_ Ingrid Anne_Manauscult

Em setembro, acontece o maior festival de artes integradas da Amazônia: o Passo a Paço, que completou sua 5ª edição em 2018. O projeto de ocupação artística do Centro Histórico de Manaus consolidou-se como grande expressão de intercâmbio artístico, promovendo o encontro de variadas expressões e linguagens artístico-culturais, nacionais e locais, no berço histórico da capital amazonense. Um público recorde de 93 mil pessoas compareceu ao Centro Histórico da cidade em um momento único de ocupação, trazendo novas vivências e experiências à sociedade em geral.

Segundo dia do Boi Manaus 2018 - Foto_ Leonardo Leão_Manauscult

O mês de aniversário da Cidade é marcado tradicionalmente pelo Boi Manaus, evento que traduz a hospitalidade do povo manauara no ritmo que é uma das bases de sua cultura plural: o boi-bumbá. O evento, nascido em 1997, passou a ser uma das comemorações oficiais de aniversário da cidade desde então.

Realizado no Complexo Turístico Ponta Negra desde 2015, quando teve formatação repaginada para se tornar produto turístico nacional, o Boi Manaus costuma reunir um público de mais de cem mil pessoas em dois dias de festa. Os artistas e itens dos bumbás se apresentam em cima dos trios elétricos, levando o público a uma experiência diferenciada ao som do ritmo regional.

Réveillon de Manaus 2019 na Ponta Negra - Foto: Marcio James/Semcom

Manaus consolidou seu Réveillon como produto turístico junto ao mercado exterior devido ao trabalho realizado desde 2014, quando o evento deixou o palco do Anfiteatro e passou a ser realizado na praia da Ponta Negra, às margens do Rio Negro, reunindo um público médio de mais de 200 mil pessoas e transformando o Réveillon de Manaus em um dos principais produtos turísticos da região Norte do País. Somente as últimas cinco edições reuniram um público de 1,3 milhão de pessoas.

Mais de 130 artistas locais participam da programação organizada também em outros dois pontos tradicionais da cidade: Zona Leste e Zona Sul. Em 2018, os três pontos somaram um público de 255 mil pessoas.

Ao todo, dez toneladas de fogos fazem da festa da virada em Manaus um show pirotécnico à parte em três pontos: na Ponta Negra, Zona Leste e no bairro Educandos, Zona Sul,  locais de grande concentração de pessoas.

Outros pontos da cidade como o Viver Melhor, na zona Norte; Mauazinho e Colônia Antônio Aleixo, na zona Leste; além do bairro Crespo, na Zona Sul, também recebem apoio da Prefeitura de Manaus para as festas de Ano Novo.

De 2013 a 2018, um público de 7.255.200 pessoas passaram pelos principais eventos realizados pela Prefeitura de Manaus, por meio dos projetos desenvolvidos pela Manauscult, entre eles, grandes eventos como Fan Fest (Copa do Mundo), Live Site (Olimpíadas), Revezamento da Tocha Olímpica, Amazonia Live, Maloca Urbana (estande no Rock in Rio), além dos previstos no calendário fixo de eventos. Em todos eles, houve a parceria com a classe artística local, com a oportunidade de intercâmbio com artistas e profissionais de fora.

Estes eventos notoriamente colocaram Manaus entre as cidades de destaque no cenário internacional para o Turismo.

Histórico

A inserção da Cidade de Manaus na rota dos grandes eventos nacionais – e internacionais – é um ciclo que foi iniciado com os preparativos para a Copa do Mundo (2014) e que atraiu eventos subsequentes, confirmando a cidade como um novo destino dos eventos de grande porte. Os Jogos Olímpicos Rio 2016 foram exemplo disso. Manaus só conseguiu entrar no seleto grupo de seis cidades brasileiras que sediaram a Olimpíada por conta dos excelentes resultados obtidos com a organização da Copa do Mundo. Foi uma das poucas cidades no País e uma das únicas no mundo a sediar os dois principais mega-eventos esportivos mundiais.

Show de Ivete Sangalo na Ponta Negra no Amazonia Live - Foto: Ingrid Anne/Manauscult

Em 2016, na sequência dos Jogos Olímpicos 2016, o Amazonia Live, evento com a chancela da marca Rock in Rio, mostrou ao mundo a beleza do Rio Negro, onde um palco flutuante em formato de folha serviu de cenário para o lançamento mundial do projeto socioambiental do Rock in Rio, com um concerto comandado pelo tenor Plácido Domingo e pela cantora baiana Ivete Sangalo. Realizado em agosto de 2016, o evento teve ainda show gratuito na praia da Ponta Negra. As apresentações associadas ao contexto inusitado do palco flutuante em plena Amazônia conferiram ao evento um tom mágico e sensacional. Manaus mais uma vez estampou o noticiário internacional.

Fruto dessa parceria, em 2017, a cidade de Manaus apresentou suas potencialidades no Rock in Rio, na cidade do Rio de Janeiro, um dos maiores festivais de música do mundo, no estande “Maloca Urbana”.

Estande Manaus no Rock in Rio